Foster the People traz produtor de Adele em disco menos polido

Supermodel, segundo álbum da banda, previsto para chegar às lojas no dia 18, tem pré-estreia exclusiva na Deezer a partir desta terça-feira, 11

Gavin Edwards / Tradução: Ligia Fonseca Publicado em 11/03/2014, às 12h49 - Atualizado às 13h28

Foster the People
Divulgação

O hit de rock dançante “Pumped Up Kicks”, lançado pelo Foster the People em 2011, transformou a banda em astros e criou expectativas enormes sobre o que viria em seguida. Quão enormes? O líder da banda, Mark Foster, está sentado no deque da cobertura de um prédio no centro de Los Angeles, cuja lateral tem um mural gigante da arte da capa do segundo disco do FTP, Supermodel, com lançamento marcado para 18 de março, mas que ganhou uma pré-estreia exclusiva no serviço de músicas em streaming Deezer (ouça no player abaixo).

“Queríamos fazer um álbum que aceitasse nossas imperfeições”, ele diz. Embora Supermodel tenha alguns hits em potencial, incluindo o primeiro single, “Coming of Age”, é menos polido e mais variado do que a estreia da banda. “É introspectivo”, afirma Foster. “Há um lado emocional que as pessoas ainda não ouviram.”

Foster e Paul Epworth, produtor de Adele, começaram a gravar em meados de 2013, no Marrocos, e continuaram o que acabou se tornando um processo árduo em Londres e Malibu. “Eu queria gravar 25 músicas”, conta Foster, “e lançar nosso terceiro álbum daqui a oito meses. Ficamos sem tempo.”

Foster lutou com “Are You What You Want to Be?”, uma jam com sabor afrobeat. Procurando versos que se encaixassem na faixa, ele quase a traduziu para o português, mas acabou escrevendo uma letra que se apoia em nomes que não vêm do inglês: Belize, Fela Kuti, Gana, Champs-Élysées. “Foi difícil encontrar palavras que dançassem sobre aquele groove africano”, afirma. “É legal, olhando para trás – mas na época, eu estava arrancando os cabelos.”

Ouça Supermodel, lançado pela Deezer: