Frank Ocean reflete sobre o aguardado novo disco, Blonde, lançado no fim de semana

“Achei romântico, às vezes, editar este projeto”, escreveu o cantor norte-americano sobre o álbum, o extremamente esperado sucessor “oficial” de Channel Orange (2012)

Rolling Stone EUA Publicado em 22/08/2016, às 17h52 - Atualizado às 18h08

Frank Ocean em autorretrato de 2015 publicado no Tumblr oficial dele
Frank Ocean/Tumblr oficial

Pouco depois de lançar o extremamente aguardado LP de avant-soul Blonde – dando sequência ao “álbum visual” Endless (2016) e ao elogiado disco Channel Orange (2012) –, Frank Ocean fez duas postagens no Tumblr.

“Dois anos atrás eu achei uma imagem de uma criança com o rosto coberto pelas mãos”, escreveu Ocean. “Um cinto de segurança passava pelo torso dela e um tufo de cabelo loiro permanecia lá, para o momento, atrás de suas orelhas. Os olhos dela pareciam claros e calmos, mas não em branco, e a estrada atrás dela parecia a mesma. Coloquei-me no lugar dela e toquei isso na minha cabeça.”

Ocean escreveu sobre as experiências dele trabalhando em Blonde pelos últimos quatro anos. “Achei romântico, às vezes, editar este projeto”, notou. “O tempo inteiro eu me senti como se estivesse na presença de uma McLaren F1 de US$ 16 milhões equipada com uma câmera descartável.”

“Minhas memórias estão nessas páginas, lugares próximos e distantes, separados a voos de distância”, seguiu. “Gravar em Tóquio, Nova York, Miami, Los Angeles, Londres, Paris. Parar em Berlim para vivenciar Berghain. Ir atrás de joias e me aprofundar em parábolas com o multiforme Brandon, também conhecido como BasedGod, em conversas.”

LEIA TAMBÉM

Saiba mais sobre o contemplativo álbum visual Endless (2016)

[Arquivo] Frank Ocean – Mudando o Mundo (2012)

[Resenha] Frank Ocean – Channel Orange (2012)

Ainda que Ocean não tenha se aprofundado em canções de Endless / Blonde, ele mencionou como “Godspeed” (de Blonde) é “basicamente uma parte da minha infância reimaginada.”

“Garotos choram, mas acho que eu não derramei uma lágrima em parte dos meus anos da adolescência. É surpreendentemente minha parte favorita da vida até então”, escreveu ele. “Surpreendentemente para mim, porque a fase atual é o que eu sempre pedi ao cosmos quando era criança.”

Ocean seguiu: “Talvez aquela época tenha tido períodos difíceis também, mas olhando no meu retrovisor, eles estão ficando menores para eu me convencer de que aquilo tudo foi bom. E, realmente... Continua tudo muito bom.”

Em outra postagem no Tumblr, Ocean agradeceu aos fãs por ficarem com ele nos quatro anos desde Channel Orange. “Tive a melhor época da vida fazendo isso tudo”, escreveu o músico. “Muito obrigado a todos vocês. Especialmente àqueles que nunca me deixaram esquecer que eu tinha que terminar. O que é basicamente todos vocês. Haha. Amo vocês.”

Ocean revelou Blonde depois de soltar Endless (disponível neste endereço), um precursor da real e aguardadíssima sequência de Channel Orange, na última semana. O disco de fato, Blonde, foi lançado no serviço de streaming Apple Music, com 17 faixas.

O disco saiu com uma publicação impressa em acompanhamento, intitulada Boys Don’t Cry, disponível em lojas de Chicago, Los Angeles, Nova York e Londres. Fãs que visitaram às lojinhas montadas ganharam um exemplar de Boys Don’t Cry com uma cópia de Blonde em CD dentro deles.

Capa e tracklist de Blonde

1. "Nikes"

2. "Ivy"

3. "Pink + White"

4. "Be Yourself"

5. "Solo"

6. "Skyline To"

7. "Self Control"

8. "Good Guy"

9. "Nights"

10. "Solo (Reprise)"

11. "Pretty Sweet"

12. "Facebook Story"

13. "Close To You"

14. "White Ferrari"

15. "Seigfried"

16. "Godspeed"

17. "Futura Free"