Gal Costa comemora 50 anos de carreira e crava: "Sinto que estou no auge"

Com o disco Estratosférica, a diva faz show gratuito na praia de Copacabana, neste domingo, 29

Luciana Rabassallo Publicado em 28/11/2015, às 12h40 - Atualizado em 30/11/2015, às 14h33

A diva Gal Costa.

Ver Galeria
(16 imagens)

Gal Costa uma apresentação histórica e gratuita na praia de Copacabana, Rio de Janeiro, na noite deste domingo, 29. Como atração de maior destaque do 5° Festival Natura Musical, a cantora baiana, que comemora 70 anos de idade e cinco décadas de carreira, mostrará as canções de Estratosférica, o mais recente disco da diva, que chegou às lojas no mês de junho.

Gal Costa e Caetano Veloso retomam em 2011 uma das parcerias mais duradouras, intensas e prolíficas da música brasileira – uma história de amor nascida nos anos 60 e que gera frutos até hoje.

"Será um show muito especial", conta Gal, antes de acrescentar: "Tocar de forma gratuita tendo o Rio de Janeiro como cenário é uma coisa muito especial". No repertório, além de novas canções como "Sem Medo Nem Esperança" (Arthur Nogueira e Antonio Cicero) e "Quando Você Olha pra Ela" (Mallu Magalhães), haverá hits consagrados pela cantora ao longo de sua extensa e transgressora carreira.

Galeria: a música brasileira contada em documentários.

"O fato de eu poder interpretar músicas como ‘Pérola Negra’, ‘Baby’, ‘Divino Maravilhoso’, ‘Folhetim’ e ‘Dê um Rolê’ para um público jovem é excepcional. Fico muito feliz por perceber que cada vez mais jovens têm comparecido aos meus shows e gostam muito das diferentes fases da minha carreira, que englobam discos como Fa-Tal - Gal a Todo Vapor [ ao vivo, de 1971] e Profana [1984]."

Gal Costa beira perfeição em show intimista Espelho d'Água.

O show ainda contará com a participação especial de Milton Nascimento: "Cantar ao lado de Milton Nascimento será um prazer enorme. É uma daquelas coisas que me deixam muito feliz. A verdade é estar no palco é o que me move". Gal Costa faz questão de ressaltar que trabalhar é o que a mantém em equilíbrio: "Faço o que eu amo. O meu sonho sempre foi ser uma boa artista. Eu acho que triunfei nesse sentido. Sinto que estou no auge. Tenho muito tesão pelo o que eu faço. Ainda sinto um grande frio na barriga antes de qualquer apresentação. Seja a estreia de um novo disco ou seja o último show de uma turnê, eu amo encarar o público e cantar para os meus fãs."

Na Trilha da Canção documenta conexões artísticas entre nomes da MPB.

A paixão pelas artes é o que motivou Gal Costa a produzir o 33º álbum de sua discografia solo. O registro dá continuidade ao movimento de renovação iniciado em Recanto (2011), cuja sonoridade moderna fez muitos fãs tradicionalistas de baiana torceram o nariz. Julgaram a obra demasiadamente moderna, quase uma tentativa desesperada de comunicação com as gerações mais jovens. Com o passar do tempo (e a digestão dos puristas), o disco se tornou um marco na carreira da cantora.

Emicida exalta a cultura negra em disco com mensagem acessível e extremamente relevante.

Quatro anos após a aventura musical de Gal entre timbres sintetizados, bases construídas sobre sons e efeitos minimalistas, ela lançou Estratosférica, que tem produção de Moreno Veloso e Kassin. A direção artística fica por conta do jornalista Marcus Preto. "A ideia dessa disco é continuar com as experimentações de Recanto, mas de uma forma mais amena. A sonoridade de Recanto marca uma nova fase da minha carreira e Estratosférica colhe alguns frutos disso, mas com uma musicalidade mais palatável. O resultado me deixou muito feliz", explica.

Emicida expõe a luta de classes e o preconceito racial no impactante clipe de “Boa Esperança”.

A diva, que vive um momento de plenitude indiscutível, sobe ao palco do Festival Natura Musical às 20h. O evento terá início com uma apresentação de Karla Silva às 14h20, que carrega em seu repertório influências da música negra, mostra as canções do DVD Quintal Ao Vivo. Na sequência, Tulipa Ruiz, que dividirá o palco com Felipe Cordeiro, se apresenta às 15h30 o disco Dancê. Emicida e o elogiadíssimo Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa são destaque às 17h. Em seguida, às 18h30, Chico César executa seu novo álbum, Estado de Poesia, ao lado de Marcelo Jeneci, que começou sua carreira tocando sanfona na banda de Chico.

Festival Natura Musical 2015

Domingo, dia 29 de novembro de 2015, a partir das 14h.

Praia de Copacabana, na altura da Av. Atlântica com as avenidas Princesa Isabel e Prado Júnior.

Entrada gratuita.

Mais informações: www.naturamusical.com.br

14h20: Abertura com Karla da Silva

15h30: Tulipa Ruiz e Felipe Cordeiro

17h00: Emicida

18h30: Chico Cesar e Marcelo Jeneci

20h00: Gal Costa

21h00: Encerramento com Gal Costa e convidados