George Clooney convenceu Julia Roberts a trabalhar em ‘Onze Homens e Um Segredo’ com uma nota de US$ 20

Astro relembrou histórias dos bastidores em entrevista recente

Redação Publicado em 23/12/2020, às 15h00

None
(Foto: Reprodução/Warner Bros.)

Um dos maiores sucessos da carreira de George Clooney, Onze Homens e Um Segredo é cheio de histórias de bastidores divertidas. Lançado em 2001, o filme é um remake de mesmo título da obra de 1960, estrelada por Frank Sinatra. Clooney interpreta Danny Ocean, que planeja assaltar três dos maiores cassinos de Las Vegas simultaneamente. O filme foi um sucesso na época do lançamento, e rendeu as continuações Doze Homens e Outro Segredo (2004), Treze Homens e Um Novo Segredo (2007) e Oito Mulheres e Um Segredo (2018), estrelado por Sandra Bullock.

O primeiro filme da franquia contou com um elenco de peso: Brad Pitt como Rusty Ryan, Matt Damon como Linus Caldwell, Don Cheadle como Barney Rubble, e Julia Roberts como Tess Ocean - ex-esposa de Danny.

+++LEIA MAIS: O Céu da Meia-Noite, estrelado e dirigido por George Clooney, vai além da ficção científica e reflete sobre família, solidão e arrependimento [REVIEW]

Em entrevista à GQ, George Clooney comentou que a melhor parte de trabalhar na franquia era o relacionamento entre os atores. Ainda que os filmes abordassem assaltos e cenas repletas de ação, o clima nos bastidores era tranquilo: Clooney explicou que todos se apoiavam durante as filmagens, e isso contribuiu para a química dos personagens em cena.

O ator também compartilhou a história sobre como convenceu Julia Roberts a participar do filme: “Eu me lembro de Julia. Eu não a conhecia, e na época, ela estava ganhando $20 milhões por filme. Nós conseguimos Brad Pitt e Matt Damon, e também queríamos que Julia Roberts participasse do filme. Então, eu coloquei uma nota de $20 dentro do roteiro e enviei para ela dizendo: ‘Eu soube que você ganha $20 por filme agora.’”

+++LEIA MAIS: George Clooney aconselhou Ben Affleck a NÃO ter mamilos em traje de Batman


+++ CYNTHIA LUZ: 'A GENTE PRECISA OUVIR A VOZ DAS PESSOAS' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL