George R. R. Martin comenta os acontecimentos chocantes do episódio do último domingo, 13, de Game of Thrones

Série está atualmente na quarta temporada, que adapta a metade final do livro A Tormenta de Espadas

Redação Publicado em 14/04/2014, às 13h36 - Atualizado às 14h18

Game of Thrones
Divulgação/HBO

Atenção, o texto contém spoilers sobre o mais recente episódio de Game of Thrones, exibido no último domingo, 13.

Em entrevista concedida à Rolling Stone EUA, ainda não publicada, o escritor George R. R. Martin, autor da série literária na qual Game of Thrones é baseada, comentou se as ações dos seus personagens modem ser mudadas:

Gwendoline Christie (Brienne de Tarth) e Pedro Pascal (Oberyn Martell) falam sobre a quarta temporada da série, a sina dos personagens e da exposição que chega agora ao Brasil.

Assista ao trailer do vindouro quarto episódio da série:

George R. R. Martin: Quem matou Joffrey?

O assassinato acontece no início da quarta temporada. Os livros de As Crônicas de Gelo e Foto já discutiram bastante o envenenamento do Rei Joffrey.

Nos livros – e eu não prometerei, porque ainda tenho mais dois para escrever e eu talvez tenha mais surpresas para revelar – a conclusão tiradas pelos leitores mais cuidadosos é que Joffrey foi morto pela Rainha dos Espinhos [Olenna Redwyne, avó da noiva do Rei], usando um veneno que estava na rede de cabelos de Sansa, então, se todos pensaram que ele foi envenenado, Sansa seria a culpada. Ela certamente tem uma boa razão para isso.

Eu trago isso a tona porque eu acho que é uma questão interessante de redenção. É quase como matar Hitler. Será que a Rainha dos Espinhos precisa de redenção? Ela matou Hitler ou um garoto de 13 anos? Ou ambos? Ela certamente tem bons motivos para tirar Joffrey do jogo. Depois de tudo o que ouviu dele, ela percebeu que ele era altamente instável e se casaria com a amada neta dela. A Rainha dos Espinhos estudou Joffrey bem o bastante para saber que, em algum ponto, ele se cansaria de Margaery e ela seria maltratada da mesma forma que Sansa foi. Mesmo que ela tenha removido Joffrey da história, a neta ainda poderá conseguir a coroa, sem precisar se colocar em risco. Então, neste caso, o fim justifica os meios? Eu não sei. Isso é o que eu gostaria que os leitores e telespectadores debatessem.