Giorgio Moroder revela prévia de todas as faixas do novo disco Deja Vu

Pioneiro produtor italiano divulgou vídeo com “mega-mix” das músicas do álbum

Rolling Stone EUA Publicado em 29/05/2015, às 10h20 - Atualizado às 12h33

Giorgio Moroder
Barry Brecheisen/AP

O primeiro álbum de Giorgio Moroder em 30 anos não será lançado até 16 de junho, mas os fãs do pioneiro da disco music – e da estrelada lista de artistas pop que participam – podem ouvir uma prévia de cada uma das canções de Déjà Vu .

Em 2014, Moroder tocou em São Paulo; lembre como foi.

Dirigido por Jimes, o videoclipe com mega-mix é protagonizado por um trio de dançarinos – Ade Obayomi, Caitlin Kinney e Megan Kinney –, que vão interpretando os trechos de cada faixa.

O mix começa com uma música apenas de Moroder “74 Is the New 24”, mostra prévias de duas canções inéditas (“Back and Forth”, com Kelis, “Tempted”, com Matthew Koma) e de outras duas já reveladas (“Déjà Vu”, com Sia, “Diamonds”, com Charli XCX).

Edição 97 - Entrevista: Giorgio Moroder.

A cover de Britney Spears para “Tom's Diner”, de Suzanne Vega, entretanto, é a única música que não é ilustrada por uma dança e é drasticamente cortada para servir como encerramento para o vídeo. Outros artistas inclusos no disco são Kylie Minogue, Mikky Ekko, Foxes e Marlene.

Moroder esteve por trás das maiores e mais conhecidas músicas de Donna Summer, incluindo “Bad Girls”, “Hot Stuff” e “MacArthur Park”. Ele tirou algumas décadas de folga, tendo lançado seu último álbum completo em 1985.

Galeria: os cabelos mais icônicos do mundo da música.

Em 2013, o produtor e DJ italiano fez o retorno à música quando colaborou com o Daft Punk na faixa “Giorgio by Moroder”, do disco Random Access Memories. “O Daft Punk é a razão de eu estar aqui”, disse Moroder à Rolling Stone EUA em novembro do ano passado, após o anúncio do seu novo álbum.

Na mesma época, ele começou a fazer seus primeiros shows em todos os tempos como DJ. “Percebi que as plateias eram muito jovens, tipo 18 a 40”, disse. “Senti-me muito jovem. Quer dizer, estou com 74 anos, mas continuo sentindo que faço parte dessa geração da juventude.”