Glastonbury rejeitou Pink Floyd

De acordo com David Gilmour, colocar a banda em um grande festival a céu aberto era um dos últimos desejos de Rick Wright, morto em setembro

Da redação Publicado em 07/10/2008, às 16h28

David Gilmour confirmou, após a entrega do Q Awards nesta segunda-feira, 5, um boato muito explorado pela imprensa britânica em junho passado, de que o Pink Floyd foi rejeitado pela organização do Glastonbury 2008. O guitarrista disse que reunir o grupo para um festival a céu aberto era um dos últimos desejos de Rick Wright, que morreu no mês passado devido a um câncer.

"Não pudemos ir por todos os tipos estranhos de razões, o que é uma tristeza", explicou o guitarrista à imprensa. Um dos melhores amigos de Wright em vida, Gilmour o convidou para ser o tecladista em seu show em Gdansk, na Polônia, que virou um CD/DVD ao vivo, lançado na última semana, possivelmente como uma última forma de homenageá-lo em vida.

A rádio BBC 6 Music procurou Emily Eavis, uma das organizadoras do festival, que confirmou a oferta de Gilmour, mas disse que ela foi de última hora - apenas a três semanas de o evento acontecer -, impossibilitando o encaixe, já que todas as principais atrações estavam definidas (Jay-Z, Kings of Leon e The Verve). "Não tínhamos nada pra fazer, a não ser chutar algum dos headliners, coisa que jamais fizemos. O Kings of Leon estava em seu melhor momento da carreira, não poderíamos dizer 'Desculpem, agora vocês não fecham mais a noite porque um grupo maior tomou seus lugares'", explicou Eavis.

Chris Martin, vocalista do Coldplay, chegou a se meter na história durante a cerimônia do Q: "Pink Floyd no Glastonbury: Não boto fé", em uma clara referência a Noel Gallagher, que chegou a afirmar "Jay-Z no Glastonbury: Não boto fé", quando o rapper foi anunciado, no começo do ano. Martin e Jay-Z gravarão uma música juntos para o novo EP de inéditas do Coldplay.

Eavis ainda explicou que quando Gilmour ofereceu a apresentação do Pink Floyd, que seria a primeira desde 1995 (além da participação no Live 8, em 2005), não contou a ninguém que Wright estava morrendo de câncer.