Google Glass expande para o mundo da música

DJ Young Guru apresenta em vídeo algumas das novas ferramentas permitidas pelo revolucionário dispositivo

Rolling Stone EUA Publicado em 12/11/2013, às 13h54 - Atualizado às 14h00

Google Glass
Reprodução

Os futurísticos óculos conhecidos como Google Glass terão funções musicais nas próximas duas semanas para algumas centenas de exploradores que utilizam a ferramenta em fase de teste. Isto inclui acesso sem as mãos ao Google Play, o serviço de streaming e download da empresa, um aplicativo estilo Shazam que identifica músicas desconhecidas e fones de ouvido estéreo. “Eu posso estar em muitos lugares e escutar coisas – posso procurar sem ter que tirar meu celular ou procurar por um aplicativo”, diz Young Guru, DJ que trabalha com Jay Z e outras estrelas, um dos eleitos para testar o aparelho.

Alguns jornalistas de tecnologia compararam o Google Glass com o Newton, da Apple – um aparelho caro (US$ 1500), à frente de seu tempo e com falta de aplicações práticas. Mas Young Guru sugere que a música pode justificar a operação. Ele fez um vídeo de dois minutos documentando uma caminhada por Los Angeles e testando a ferramenta em um restaurante mexicano, em uma loja de discos e em seu próprio estúdio. Veja abaixo.

“Quando o iPhone foi lançado, em 2007, tinha uma dúzia de aplicativos e era isso. Todo o ecossistema de aplicativos não existia até que as pessoas pudessem inventar para o iPhone”, explica Ed Sanders, diretor de marketing do Google Glass. “É por aí que estamos com o Glass. Música é uma grande parte disto.”

Além das funcionalidades que envolvem o Play e fones de ouvido, Young Guru prevê o tempo em que a ferramenta mudará a forma como músicos pensam sobre apresentações e mesmo composições. Ele tem usado o Glass para rever eventos, repetir sons ouvidos durante o dia e incorporar isto à música. Ele também já utilizou o instrumento para fazer colaborações a longa distância: “Eu fiz algumas coisas com alguns de meus colegas na Europa. Eu posso ver o dedilhado de um guitarrista – ‘por que você não coloca meio tom acima?’”, ele diz. “Isto é o mais perto que podemos de estar na mesma sala. Estar com as mãos livres para mixar ou tocar percussão me permite fazer muito mais coisa.”