Gravadoras cometeram a maior gafe da história da música

De acordo com lista da revista Blender, não investir no Napster foi pior do que empresário rejeitar os Beatles

Da redação Publicado em 12/03/2008, às 14h20 - Atualizado às 15h22

A revista estadunidense Blender publicou em sua última edição uma lista das vinte maiores gafes da história da música. Se na escolha anterior, Dick Rowe estava no topo da lista por rejeitar um contrato com os Beatles no início da carreira, nesta o olheiro foi superado por nada menos do que as quatro grandes gravadoras do mundo (Sony BMG, Universal, Warner e EMI) por terem insistido no fechamento do Napster (2001) ao invés de investirem no programa de compartilhamento de arquivos.

A publicação justifica esta escolha afirmando que uma regulamentação naquela época seria benéfica ao setor, que após o fechamento do Napster teve que lutar sem sucesso contra milhares de outras formas de compartilhamento de músicas entre usuários da internet.

Mas Rowe não foi esquecido. Sua gafe com os Beatles foi para segundo lugar da lista, seguido de perto pelo ex-proprietário da Motown, Berry Gordy, que em 1988 vendeu a gravadora de black music por US$ 60 milhões após alguns anos de lucros mais magros.