Grazi Massafera desfila pela primeira vez na SPFW

Em entrevista ao site da Rolling Stone Brasil, a atriz global disse que também adora interpretar personagens na passarela

Por Fernanda Catania Publicado em 12/06/2010, às 15h47

Grazi Massafera foi a convidada especial do desfile de Samuel Cirnansck

Ver Galeria
(6 imagens)

"A Grazi Massafera está na SPFW". Mas era tudo o que se sabia. Chega até a soar estranho falar que pouca gente sabia o paradeiro de Grazi Massafera na semana de moda paulistana. Em meio ao corre-corre dos profissionais que trabalham no evento e dos olhares atentos dos adoradores de moda, a atriz conseguiu se esconder... No backstage de Samuel Cirnansck.

Saiba como foram os desfiles do terceiro dia de SPFW.

Pela primeira vez, Grazi desfilou na SPFW, ao ser convidada pelo estilista. Nervosa e ansiosa para estrear na passarela do aclamado evento, Grazi contou ao site da Rolling Stone Brasil que aceitou o convite mais pela questão artística do que por se identificar com o conceito da coleção, que foi inspirada no halloween e nas roqueiras inglesas. "Tem uma pegada teatral pela qual eu me interessei muito. Gosto dessa coisa de interpretar personagens completamente diferentes de mim, é um desafio", disse a atriz global, enquanto usava uma peruca curta na cor preta (trabalho de Celso Kamura).

Querendo se diferenciar das "roqueiras inglesas da noite", Grazi se definiu como uma "pessoa básica, mas que gosta de ousar". "Aí aproveito essas oportunidades para isso", disse. Para ela, música e moda andam sempre juntas. "[Ambas] registram uma época", completou. Seu gosto musical se assemelha ao seu jeito tranquilo de ser e, até mesmo, de se vestir. "Adoro Ben Harper, Cat Power, Marisa Monte", contou.

Mas a atriz, que estará na minissérie global As Cariocas, entregou uma porção roqueira no final da rápida entrevista, minutos antes do desfile: "Ahhh. Eu gosto de Jimi Hendrix e de Rolling Stones, vai."

Passarela mal-assombrada

"A Grazi é a minha bruxa", disse Samuel Cirnansck. O que o estilista quis dizer foi que a atriz é a estrela de sua coleção inspirada no halloween. "É um universo divertido, de doces ou travessuras. Coloquei elementos modernos, cores vivas e referências do rock inglês", explicou.

Samuel esteve em Londres e se interessou pela atitude das garotas roqueiras londrinas, "que usam vestido curto e saem do táxi subindo o vestido e não puxando para baixo, sabe?" Para elaborar a coleção, ele revelou que ouviu muitas bandas de rock formadas por garotas, como Nicole Atkins & the Sea, Ayda Maria e Those Dancing Days.

Já a trilha sonora não foi tão focada no rock'n'roll e sim no estilo gótico, puxado para o lado do drama. Elaborado por Jackson Araújo, o setlist contou também com alguns elementos novos. "Usei o minimal techno pela primeira vez, do Damian Lazarus. Tem uma pegada de mistério e drama para combinar com o universo maluco do Samuel", explicou. "Ele me disse que queria algo ardido no final, então encerrei com a música 'Los Niños Del Parque', do Liaisons Dangereuses, um rock underground dos anos 80, que fala de crianças, doces e tem uma gritaria meio sinistra de fundo", completou. Na passarela, abóboras gigantes ajudavam a dar o clima mal-assombrado do desfile, assim como as bruxas, vassouras, corujas e morcegos que estampavam as camisetas da coleção.