Greg Ginn, cofundador do Black Flag, processa ex-colegas de banda

Ginn acredita que o uso do nome e da famosa bandeira do grupo por parte do Flag, formação alternativa da banda, infringe os direitos do Black Flag

ROLLING STONE / OFERECIMENTO OIFM Publicado em 08/08/2013, às 10h12 - Atualizado às 10h21

Logo da banda Black Flag
Reprodução

O cofundador do Black Flag Greg Ginn entrou na justiça na última sexta, 2, contra seus ex-colegas de banda por uma suposta infração de direitos autorais.

Segundo o site da revista The Hollywood Reporter, Ginn acredita que o uso do nome e da famosa bandeira do grupo por parte do Flag, formação alternativa que conta com Keith Morris, Dez Cadena, Chuck Dukowski e Bill Stevenson, infringe os direitos do Black Flag, dos quais ele e seu selo SST Records são donos. Também é citado no processo Henry Rollins, ex-integrante do lendário grupo punk e que não faz parte de nenhum dos dois grupos derivados do Black Flag, reunidos apenas para turnês (o outro é capitaneado pelo próprio Ginn e usa o nome Black Flag mesmo).

Ginn afirma que ele e seu selo são proprietários exclusivos do nome Black Flag, incluindo a variação Flag, além de terem posse sobre o icônico logo da banda, que tem sido usado pelo Flag em uma turnê iniciada em maio.

A ação descreve o Flag como "uma imitação" que "provavelmente causará confusão, enganos ou decepção entre os consumidores". Ginn ainda acusa seus ex-colegas de "mentirem para o escritório de registro de marcas, usando as capas de disco de seu selo para parecer que eles continuam usando o nome Black Flag desde 1979".

Ouça Black Flag na programação da OiFM.