Gretchen sofreu censura na Ditadura por fazer "caras sensuais" na TV

Cantora revelou em entrevista no Conversa com Bial que foi proibida de aparecer em programas de televisão por um mês

Redação Publicado em 28/06/2019, às 17h22

None
Gretchen no lyric video de "Swish Swish" (Foto: Natalia Abreu)

Gretchen foi a convidada do Conversa com Bial, programa de entrevistas de Pedro Bial, desta sexta, 28. A cantora de “Conga Conga Conga” relembrou o início de sua carreira nos anos 1970, e a resposta negativa que teve das autoridades - chegou até mesmo a ser proibida de aparecer na TV. 

“Sou da época da Ditadura, e logo que comecei fui censurada. Tive que ficar um mês sem aparecer na televisão”, contou a cantora para Bial. “Quando eu me apresentava e fazia aquelas caras sensuais, ou passava a língua nos lábios… Isso era proibidíssimo, era um absurdo. [A acusação era que] eu estava incitando a sensualidade.” 

+++ Polícia interrompe show de hardcore e leva vocalista para a delegacia

A Ditadura Militar no Brasil durou de 1964 a 1985. Os Atos Institucionais da Constituição Federal da época militar tinha regras estritas sobre o que poderia ser lançado nos meios de comunicação e meios artísticos. Os governantes tinham permissão para proibir qualquer ato que não fosse de acordo com as diretrizes morais do governo - e as performances de Gretchen não se encaixavam nisso. 

As leis que permitiam a censura criativa foram suspensas em 1988, com a nova Constituição Federal. Na lei atual, é previsto como direito fundamental a “livre expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”, e também a “livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”. 

+++ De Emicida a Beyoncé: Drik Barbosa escolhe os melhores de todos os tempos