Grupo francês de cinema defende o polêmico Cuties: 'Denúncia sofisticada à hipersexualização'

O grupo UniFrance enviou comunicado à indústria francesa nesta sexta, 18

Redação Publicado em 18/09/2020, às 17h05

None
Cuties (Foto: Jean-Michel Papazian / BIEN OU BIEN PRODUCTIONS).

Desde o lançamento de Cuties na Netflix, a diretora Maïmouna Doucouré está sendo acusada de sexualização infantil. No entanto, o grupo francês de cinema UniFrance criticou a “violenta reação” sobre o longa, defendendo a produção e a cineasta. As informações são da NME.

+++LEIA MAIS: Cuties, polêmico filme da Netflix, é uma crítica ou incentivo à erotização infantil? [ANÁLISE]

O grupo é gerido pelo governo francês e é responsável por promover filmes franceses fora do país. Em comunicado enviado à indústria cinematográfica nesta sexta, 18, a UniFrance disse que “oferece todo o apoio” à diretora e aos produtores de Cuties:

“Nas últimas semanas, temos acompanhado de perto a reação excepcionalmente violenta ao filme nos Estados Unidos, durante uma campanha eleitoral presidencial em pleno andamento. Neste contexto, a UniFrance e todos os seus membros desejam dar total apoio à Maïmouna Doucouré e reafirmar o seu empenho em apoiar a liberdade de criação e expressão artística”, disse a declaração.

+++LEIA MAIS: Diretora de Cuties afirma que 'luta a mesma luta' dos que criticam o filme

O comunicado continua: “Isso porque uma das grandes fortalezas do cinema é a capacidade de ir além de fronteiras e de oferecer uma visão crítica e construtiva sobre o mundo e os excessos das sociedades atuais. Cuties oferece uma denúncia sutil e sofisticada à hipersexualização de uma geração jovem que traduz e reproduz as imagens que os inundam em seu cotidiano, principalmente nas redes sociais”.


+++ JOÃO GORDO: 'O QUE ESTÁ ACONTECENDO HOJE NO BRASIL É COMPLETAMENTE SURREAL' | ROLLING STONE