Pulse

Grupo protesta contra "perigosa" cena de casal de mães em Toy Story 4; entenda

A organização One Million Moms criou uma petição contra o novo filme da Pixar

Redação Publicado em 11/07/2019, às 11h00

None
Toy Story 4 (Foto: Divulgação)

Um grupo conservador dos Estados Unidos, One Million Moms (Um Milhão de Mães, em português), está boicotando o novo filme da Pixar, Toy Story 4, por apresentar uma cena que indica um relacionamento homoafetivo entre duas mulheres.  

Na narrativa, Bonnie, a nova dona de Woody, é deixada na escola para seu primeiro dia de aula no jardim de infância. Ao fundo, duas personagens aparecem deixando outra garota - e, na sequência, dando as mãos.

+++ LEIA MAIS: Disney exclui cena de Toy Story 2 que fazia piada com assédio sexual

A organização acredita que a cena é uma referência sutil a comunidade LGBTQ+. Nenhuma outra cena sobre o relacionamento das personagens é evidenciada. 

"A cena é sutil. Mas é óbvio que se a criança tem duas mães, elas estão juntas", disse Monica Cole, diretora do One Million Moms, parte da American Family Association (AFA), em um post sobre o assunto.  

+++ LEIA MAIS: Toy Story 4 ensina os adultos mais uma vez: amizades também esfriam - e tudo bem [ANÁLISE]

O grupo chamou a cena de "perigosa" e adverte que os pais podem ser surpreendidos pelo filme promover o "estilo de vida" LGBTQ+. 

"Isso não foi mencionado na grande mídia, o que pode parecer aceitação", acrescentou. "Mas a cena foi incluída e intencionalmente não anunciada antes do lançamento do filme, na esperança de que fosse mantida em silêncio para expor o maior número de crianças possível."

"Claro que algumas crianças podem não pegar essa referência, mas foi extremamente desnecessário", completa. 

+++ LEIA MAIS: Toy Story: 13 segredos, curiosidades e bastidores sobre a animação

A American Family Association (AFA) declarou em um relatório que a cena foi adicionada para impulsionar uma discussão. 

Cole também disse que Toy Story 4é o "último lugar onde os pais esperam que seus filhos sejam confrontados com conteúdo relacionado à orientação sexual". "Questões desse tipo estão sendo introduzidas cedo demais. É extremamente comum, mas desnecessário."

A organização - que também protestou contra o Steven Universo e As Meninas Superpoderosas por mostrar apoio à comunidade LGBT - atacou a Disney por promover uma questão política ao invés de oferecer um conteúdo de "entretenimento familiar".

"A Disney devia divertir ao invés de empurrar uma agenda de discussões e expor as crianças a esses tópicos", acrescentou.

One Million Moms criou uma petição sobre o assunto e recebeu mais de 12.000 assinaturas até o momento.

 

+++ SESSION ROLLING STONE: Cynthia Luz acredita no amor puro com "Não Sou Sem Nós"