Guerra ao Terror é o grande vencedor do Bafta

Filme sobre guerra do Iraque leva seis prêmios; premiação britânica serve como termômetro para os resultados do Oscar

Da redação Publicado em 22/02/2010, às 21h52

Guerra ao Terror levou seis prêmios do Bafta, incluindo o de melhor direção para Kathryn Bigelow

Ver Galeria
(5 imagens)

Atualizada às 21h53

Guerra ao Terror foi o grande vencedor do Bafta (British Academy of Film and Television Arts), o "Oscar" britânico, em cerimônia realizada neste domingo, 21, na Royal Opera House, em Londres. O filme de Kathryn Bigelow desbancou o todo-poderoso Avatar e levou seis dos oito prêmios que estava concorrendo, incluindo os mais importantes da noite: melhor filme e melhor direção.

O drama, que narra a história de uma equipe militar norte-americana de desativação de bombas na guerra do Iraque, também venceu nas categorias de melhor roteiro original, melhor som, melhor edição e melhor fotografia.

O blockbuster Avatar, dirigido por James Cameron, ex-marido de Bigelow, decepcionou ao levar apenas dois prêmios - efeitos especiais e design de produção - dos oito aos quais concorria. O longa-metragem de maior bilheteria da história era o mais cotado para vencer os prêmios do Bafta.

Quem levou o prêmio de melhor filme estrangeiro foi O Profeta, do francês Jacques Audiard, deixando o favorito A Fita Branca, do austríaco Michael Haneke, para trás. Também concorriam nessa categoria os filmes Abraços Partidos, de Pedro Almodóvar, Coco Antes de Chanel, da francesa Anne Fontaine e Let the Right One in, do sueco Thomas Alfredson.

Como era esperado Up - Altas Aventuras venceu como melhor animação. O longa-metragem da Pixar também ganhou na categoria de melhor música.

Colin Firth recebeu o prêmio de melhor ator, por Direito de Amar, da estreia como cineasta do estilista norte-americano Tom Ford. Firth levou a melhor sobre Jeff Bridges (Coração Louco), George Clooney (Amor Sem Escalas), Jeremy Renner (Guerra ao Terror) e Andy Serkis (Sex & Drugs & Rock & Roll).

Na categoria de melhor atriz, Carey Mulligan venceu por Educação, passando na frente das veteranas Meryl Streep (Julie & Julia) e Audrey Tautou (Coco Antes de Chanel). No entanto, o longa da diretora dinamarquesa Lone Scherfig venceu apenas nesta categoria, dentre as oito as quais concorria.

O prêmio de melhor ator coadjuvante foi entregue a Christoph Waltz, por Bastardos Inglórios, filme que estava concorrendo a seis prêmios, como os de melhor diretor e melhor roteiro original. O mesmo prêmio na categoria feminina foi conquistado pela estreante Mo'nique, devido a sua atuação em Preciosa, vencendo Anna Kendrick, de Amor Sem Escalas (que levou o prêmio de melhor roteiro adaptado).

Durante a cerimônia, foi anunciado que o Príncipe William, da Inglaterra, é o novo presidente do Bafta, ocupando o lugar do cineasta Richard Attenborough. Como sua primeira função, William entregou o prêmio honorário Bafta Fellowship à atriz britânica de 73 anos Vanessa Redgrave pelo conjunto de sua obra.

A premiação do Bafta antecede o que vem por aí na entrega do Oscar, no dia 7 de março. Só para ter uma ideia, no ano passado, o filme Quem Quer Ser um Milionário?, de Danny Boyle, ganhou o prêmio de melhor filme no Bafta e, depois, o mesmo se repetiu no Oscar.

A lista completa dos vencedores do Bafta você encontra no site oficial da premiação britânica.