Guns N' Roses responde a processo

Banda de Axl Rose teria sampleado duas músicas, sem autorização, em Chinese Democracy; empresário nega

Da redação Publicado em 07/10/2009, às 11h12

Atualizada às 15h55

O Guns N' Roses está sendo processado por duas gravadoras independentes por ter sampleado duas músicas, sem autorização, em Chinese Democracy, o álbum que demorou mais de uma década para ficar pronto.

A Independiente, do Reino Unido, e o braço norte-americano da Domino Recording Company (sediada em Londres) acusam a banda de Axl Rose de samplear trechos de "Wherever You Are" e "A Strangely Isolated Place", faixas do artista alemão de música eletrônica Ulrich Schnauss, na música "Riad N' the Bedouins". O valor pedido é US$ 1 milhão.

Responsável pelo lançamento - o primeiro de inéditas da banda, da qual Rose se mantém como único integrante original, em 17 anos -, a Geffen Records também é alvo da ação na Justiça.

De acordo com a agência de notícias Reuters, o processo começou na sexta, 2, e só veio à tona na segunda, 5. Os selos, que detêm os direitos sobre a música de Schnauss, mencionaram no processo músicos de diferentes formações do Guns N' Roses. Além de Rose, são citados os nomes do guitarrista Brian Carroll, o "Buckethead", o baixista Tommy Stinson e Robin Finck, que atualmente toca guitarra no Nine Inch Nails.

Mais abaixo, você pode assistir aos vídeos para as faixas do alemão. O processo toma por foco os 45 segundos iniciais de "Riad N' the Bedouins".

Advogado da Domino, Brian Caplan alegou ter feito primeiro contato com a Geffen em 26 de fevereiro. A gravadora "tentou explicar [os samples]. Tentou justificar", ele disse ao The New York Daily News.

Vale lembrar: as faixas de Schnauss foram lançadas em 2001 e 2003, enquanto boa parte de Chinese Democracy está sendo cozinhada desde o século passado, literalmente. Porém, dias após o lançamento, em novembro, o disco já levantou suspeitas em fãs de Schnauss. Um internauta que se identifica como "alexbk" tornou pública, em tópico sobre o músico alemão no fórum de discussão da banda alemã de eletro Tangerine Dream, sua desconfiança a respeito da nona faixa de Chinese. "Ulrich foi sampleado, entre todas as pessoas, por Axl Rose. Sem brincadeira!", escreveu.

Irving Azoff, empresário do Guns, reagiu às acusações nesta terça, 6. Em comunicado oficial, reproduzido pela Rolling Stone EUA, afirmou que a banda rechaça o uso "de samples não autorizados na faixa". O "som ambiente" que teria sido surrupiado da música alemã, segundo a nota, foi feito por "um membro do time de produção do álbum, que garantiu a nós que estes segundos foram obtidos legitimamente".

Continua: "Artistas, atualmente, não podem ler a mente daqueles com quem colaboram e, assim, infelizmente estão vulneráveis a alegações [como a das reclamantes]. Enquanto a banda se ressente com a insinuação de que ela usaria o trabalho de outro artista indevidamente, (...) está confiante de que a situação seria resolvida de forma satisfatória".

Em julho, o nome do Guns foi envolvido em outro imbróglio em torno de direitos autorais. Dessa vez, no entanto, o réu foi um blogueiro, condenado pelo vazamento de nove músicas do novo trabalho do Guns N' Roses.

Confira os vídeos de Schnauss: