Gwen Stefani: Como uma tragédia levou a cantora ao estrelato? [FLASHBACK]

Conhecida pelos trabalhos no The Voice EUA, no grupo No Dout e em carreira solo, Gwen Stefani lidou com uma tragédia para se tornar cantora

Itaici Brunetti Publicado em 11/10/2021, às 14h40

None
Gwen Stefani no clipe de "Used to Love You" (foto: reprodução/ YouTube)

A cantora Gwen Stefani é mundialmente conhecida: seja por sua participação como jurada no programa The Voice EUA, em carreira solo ou com o trabalho em seu ex-conjunto, o No Doubt, que emplacou os hits radiofônicos "Don't Speak", "Spiderwebs" e "Just A Girl" na década de 1990. No entanto, se não fosse por uma tragédia, a norte-americana não teria se tornado a estrela que é.

Segundo relembra artigo da Rolling Stone EUA, o grupo No Doubt possuía outro vocalista no início da carreira, em 1986. John Spence era quem comandava os vocais da banda de ska-pop-punk, e Gwen Stefani era a backing vocal do grupo, atuando em segundo plano. Porém, em 1987 tudo mudou, e de forma trágica.

+++ LEIA MAIS: Gwen Stefani revela como ela e os filhos lidam com a dislexia: 'Nossos cérebros funcionam de maneiras diferentes'

No Natal de 1987, o No Doubt tocaria na famosa casa de show The Roxy, na Califórnia, e seria o primeiro grande momento da ascensão da banda. Mas, em 21 de dezembro, John Spence cometeu suicídio em um estacionamento. O vocalista deixou uma nota de duas páginas onde falava sobre a pressão que sentia em ser o frontman do grupo.

De imediato, quem substituiu Spence nos vocais foi o trompetista da banda, Alan Meade, mas ele não durou um ano na posição. Então, Gwen Stefani foi "promovida" ao cargo de cantora principal do grupo. Foi o início de sua brilhante e conhecida carreira: a princípio com o No Doubt e solo posteriormente.

+++ LEIA MAIS: Nirvana: Dave Grohl relembra gravação de 'Smells Like Teen Spirit': 'Ninguém prestou muita atenção'

Em 1995, o No Doubt lançou o álbum Tragic Kingdom, o 3º da carreira do grupo, em que Gwen Stefani escreveu muitas das canções pela 1ª vez. O disco ficou em 441º na lista dos 500 Melhores Álbuns de Todos os Tempos da revista Rolling Stone EUA, e foi certificado como disco de diamante por ultrapassar a marca de 10 milhões de cópias vendidas nos EUA, além de ter vendido 16 milhões pelo mundo todo.

As informações são do site Grunge.