Há 40 anos morria Mama Cass, cantora que rompeu padrões de beleza e triunfou no mercado da música

Cantora abriu portas para nomes como Adele, Beth Ditto e Brittany Howard

Paulo Cavalcanti Publicado em 29/07/2014, às 11h40 - Atualizado às 12h39

A cantora Mama Cass
Reprodução/Vídeo

Hoje é normal cantoras fora do padrão de beleza fazerem sucesso, como Adele, Beth Ditto (Gossip) e Brittany Howard (Alabama Shakes). Mas na década de 1960, quando a magérrima modelo Twiggy era a referência de beleza feminina a ser seguida, Cass Elliot parecia um peixe fora d’água. E mesmo com o preconceito, triunfou. A cantora, que fez parte do quarteto The Mamas and The Papas, morreu na Inglaterra há exatos 40 anos, no dia 29 de julho de 1974. Mama Cass, como ela era mais conhecida, sofreu um ataque cardíaco fatal aos 32 anos. Por muito tempo uma lenda urbana dizia que ela teria morrido engasgada com um sanduíche.

John Lennon, Jim Morrison, Mama Cass: agência imagina como estariam diversos astros caso ainda estivessem vivos.

O fato é que as constantes variações de peso de Cass acabaram afetando a saúde dela. Nascida Ellen Naomi Cohen no dia 19 de setembro de 1941, em Baltimore, Cass começou a cantar na cena folk. Ela fez parte de grupos como Big 3 e The Mugwumps – nesta última ao lado dos canadenses Zal Yanovsky e Denny Doherty. Quando a banda acabou, Doherty convidou Cass para entrar em um novo projeto do qual ele faria parte, chamado The New Journeymen, que também tinha em sua formação John Phillips e a esposa Michelle. O líder Phillips, a princípio, não queria saber de Cass no grupo por achá-la “gorda”. Mas logo ele se rendeu a potência vocal, ao charme e bom humor da cantora. Por cerca de dois anos o The Mamas and The Papas projetou o otimismo californiano e foi uma das bandas de maior sucesso no mundo estourando com “California Dreamin'”, “Monday Monday” e muitas outras. Mas se o quarteto projetava uma imagem de “hippies bonzinhos”, a estabilidade interna era minada por recriminações e competição interna.

Em 1968, o TM&TP não existia mais. Cass saiu em carreira-solo e “Dream a Little Dream of Me”, uma canção gravada originalmente por Bing Crosby e que ela tinha registrado ainda no The Mamas na The Papas, se tornou um hit mundial. Quando começou a cantar sem os companheiros, Cass ainda estava insegura e a primeira temporada dela em Las Vegas em 1968 no Caesars Palace foi um desastre. Logo Cass ser recuperou do revés e o futuro parecia brilhante. Ela se tornou um dos rostos mais frequentes da TV norte-americana naquele período. Cass também teve hits com as canções "Make Your Own Kind of Music" e “It’s Getting Better”. Em 1974, a cantora cumpriu uma temporada de enorme sucesso no London Palladium em Londres. Mas logo depois deste triunfo, morreu enquanto dormia. Por uma incrível coincidência, o apartamento em que Cass morreu também seria o mesmo local da morte de Keith Moon, baterista do The Who, que em 1978 sucumbiu a uma overdose de remédios.