Pulse

Há dez anos, morria Joey Ramone

Vocalista dos Ramones perdeu a batalha contra o câncer em 2001, mas se perpetuou na história da música

Da redação Publicado em 15/04/2011, às 20h00

Há dez anos, morria Joey Ramone, frontman do lendário Ramones
AP

Dez anos da morte de Joey Ramone marcam este 15 de abril de 2011. O lendário frontman do Ramones estava prestes a completar 50 anos, em 2001, quando deu um triste tchau definitivo aos fãs ao perder batalha contra o câncer. Apesar de já não estar mais aqui para contar história, sua produção artística permanece registrada aos fãs detentores de bons ouvidos. "Se não fosse pelo Ramones, ou o Joey em especial, não haveria o Green Day, o Offspring, o Rancid e o Blink-182 - não existiria o punk, ponto", disse Billie Joe Armstrong na época da morte do cantor. "Existem bandas influenciadas pelo Ramones que nem conhecemos ainda."

O tímido Jeffrey Ross Hyman (seu verdadeiro nome) nasceu em Nova York e lá formou, na primeira metade da década de 70, aquela que seria uma das mais revolucionárias bandas de todos os tempos - sustentando o segmento punk na terra do Tio Sam e participando da mítica cena do CBGB, ao lado do Blondie, Patti Smith e muitos outros. O grupo é considerado contemporâneo dos britânicos Clash e Sex Pistols, mas apareceu um pouco antes. "O álbum Ramones invadiu a cena londrina como um avião de Guerra carregado de bombas, mergulhando de cabeça", explicou Joe Strummer, do Clash, à Rolling Stone EUA em 2001. "É impossível exagerar ao falar dessa influência." As furiosas canções - sobre amor e violência - raramente passavam da marca de dois minutos. "Quando começamos, em março de 1974", explicou Joey também à Rolling Stone norte-americana, "foi porque todas as bandas que amávamos, o rock and roll como conhecíamos, tinha sumido. Tocávamos música para nós mesmos."

O Ramones teve sua formação clássica composta por Joey nos vocais, Johnny na guitarra, Dee Dee no baixo e Tommy na bateria (Marky e Richie também fizeram passagens marcantes) - com todos os integrantes assumindo o sobrenome Ramone. A trajetória da banda foi marcada não só pelo material produzido por eles (o grupo nunca teve sucesso comercial relevante nos Estados Unidos e Inglaterra, sendo que apenas o disco End of the Century, de 1978, produzido pelo veterano Phil Spector, foi o mais próximo de um sucesso que o quarteto teve), mas também, infelizmente, pelos intensos conflitos entre os integrantes. Em 1979 a banda participou do filme Rock 'n' Roll Highschool, hoje considerado um clássico cult, dirigido por Roger Corman.

No que se refere aos discos, Joey e seus companheiros estrearam no mundo da música com o álbum homônimo, em 1976, e encerraram a carreira com ¡Adios Amigos!, de 1995. O único trabalho solo de Joey Ramone, Don't Worry About Me, saiu postumamente, em 2002. Entre os anos 80 e 90, o Ramones passou pela América do Sul algumas vezes, sempre causando uma histeria digna dos Beatles entre os fãs. Na Argentina, até tumultos violentos foram registrados quando houve problema na venda de entradas para um show.

Mesmo com o fim da banda na segunda metade dos anos 90, muito se especulou nos anos seguintes acerca de uma possível reunião. Porém, em 2001 o público fã do grupo punk viu suas esperanças irem por água abaixo. Joey foi internado em março daquele ano, para tratar de um linfoma (câncer nos gânglios linfáticos) e acabou morrendo pouco tempo depois. Os companheiros Dee Dee e Johnny morreram depois, em 2002 e 2004, respectivamente. Restaram os órfãos, admiradores do básico jeans, camiseta, jaqueta de couro e tênis (a vestimenta característica da banda) e, mais do que isso, do rock.

Relembre abaixo alguns dos hits da banda: