“As Haim são o melhor exemplo do que somos como banda”, diz Isaac, do trio Hanson

Irmãos retornam ao Brasil para três shows, nos dias 24, 25 e 26 de agosto, em que celebram os 25 anos do grupo

Anna Mota Publicado em 22/08/2017, às 19h35 - Atualizado às 19h57

Isaac e Taylor Hanson durante uma performance nos Estados Unidos em 2017

Ver Galeria
(3 imagens)

Há 20 anos o mundo conheceu as afinadas vozes dos irmãos Isaac, Taylor e Zac Hanson ao ouvir “MMMBop”, hit do pop que marcou toda uma geração. O single integra Middle of Nowhere (1997), disco de estreia do Hanson que inspira o nome da Middle of Everywhere Tour. A turnê, em celebração aos 25 anos do grupo, chega ao Brasil nesta quinta, 24, com uma apresentação no Rio de Janeiro (KM de Vantagens Hall). Após passar pela capital fluminense, o trio segue com shows em Belo Horizonte (KM de Vantagens Hall), na sexta, 25, e em São Paulo (Citibank Hall), no sábado, 26.

“O tempo é algo interessante, porque em alguns aspectos me sinto exatamente como me sentia há 25 anos. Mas ao mesmo tempo nós tivemos uma vida de experiências e de evolução como músicos”, comenta Isaac, que se anima principalmente com os novos fãs. “Acredito que ver pessoas indo pela primeira vez a shows do Hanson é uma das coisas mais incríveis atualmente.”

Febre teen: os 25 momentos mais explosivos de ídolos adolescentes

Apesar do sucesso de “MMMBop”, e de Middle of Nowhere ter alguns dos hits de maior sucesso do trio — como “Where Is The Love” —, para Isaac, os discos de maior significância na carreira do Hanson são This Time Around (2000) e Underneath (2004). “Claro que nosso primeiro disco nos deu nossos singles maiores, mas This Time Around influenciou muito nossos fãs, acredito que ele seja o preferido deles. Ele nos fortaleceu, nos deu uma carreira e a oportunidade de estar tocando há 25 anos”, opina. “Underneath representa uma mudança permanente na banda. Ele foi o primeiro que lançamos de forma independente [pelo selo prório 3CG Records].”

Isaac afirma que a conexão entre os irmãos foi muito importante em momentos decisivos para o grupo, como quando deixaram a Island Records. “Claro que brigamos, mas nos damos muito bem. E estamos juntos porque valorizamos isso e porque fazemos o que amamos.” E o fato de estar em família fez com que o Hanson se tornasse parâmetro para outro trio da música: o Haim, trio de irmãs que já não aguentam mais serem chamadas de "Hanson hipster".

“Eu acho que as Haim [as irmãs Este Haim, Danielle Haim e Alana Haim] são fantásticas, gosto muito delas. Eu acho que o Haim é o melhor exemplo do que somos como banda. A dinâmica delas é muito similar à nossa. A única diferença significante, que na verdade nem é tão grande assim, é que o estilo delas é mais um pop dos anos 1980 e o nosso é mais influenciado mais pelo country e pelo R&B”, encerra.