Hall da Fama do Rock & Roll homenageia Stooges e ABBA

Jimmy Cliff, Hollies e Genesis também passaram a integrar o museu em seu 25º aniversário

Da redação Publicado em 16/03/2010, às 17h37

Iggy Pop se apresenta na cerimônia de introdução de novos artistas no Hall da Fama do Rock; o músico e seus Stooges agora integram o museu

Ver Galeria
(6 imagens)

A 25ª cerimônia do Hall da Fama do Rock & Roll foi realizada nesta segunda-feira, 15, no hotel Waldorf-Astoria, em Nova York. ABBA, Genesis, o ícone do reggae Jimmy Cliff e o grupo norte-americano The Stooges estão entre os nomes que entraram para o museu.

A noite começou com o show da banda britânica Genesis, abrindo com a clássica "Watcher of the Skies", segundo informou o site da Rolling Stone EUA. O grupo passou por duas fases em sua carreira: com o vocalista Peter Gabriel e, depois, com o cantor Phil Collins, que começou como baterista. No entanto, Peter Gabriel não esteve presente. "Ele está preparando uma turnê na Europa, que vai começar em breve", explicou o guitarrista Mike Rutherford.

Depois, foi a vez de Billie Joe Armstrong, vocalista do Green Day, apresentar o tão aguardado Iggy & The Stooges, que totaliza sete nomeações na cerimônia do Hall da Fama, conquistando a honra apenas este ano. "Eles simbolizam a destruição do flower power e a criação do Raw Power", disse o músico, em referência ao clássico disco do grupo, lançado em 1973. Armstrong ainda descreveu o vocalista Iggy Pop, de 62 anos, como "o cantor mais conflituoso da história".

A banda então tocou "Search and Destroy", marcando a primeira vez em que o guitarrista James Williamson e Iggy Pop tocam juntos em solo norte-americano desde 1974 (Williamson voltou à banda no ano passado, após a morte de Ron Asheton).

Introduzida pelo músico Steven Van Zandt, a banda britânica The Hollies, com os vocalistas originais Allan Clarke e Graham Nash, tocou músicas dos anos 60, como "Bus Stop" e "Carrie Anne", com a participação de Adam Levine e Jess Carmichael, do Maroon 5. Pat Monahan, da banda Train, cantou "Long Cool Woman in a Black Dress".

Vestindo um lenço estampado com a bandeira jamaicana e uma jaqueta prata brilhante, Jimmy Cliff subiu ao palco do Hall da Fama cantando "You Can If You Really Want". Cliff foi o segundo cantor de reggae a participar da história do evento, depois de Bob Marley. O músico foi introduzido pelo rapper haitiano Wyclef Jean, do Fugees.

Em seguida, foi a vez da apresentação do Abba, que recebeu o prêmio dos irmãos Barry e Robin Gibb, do Bee Gees. "Nós não tocamos juntos desde 1982", disse a vocalista Anni-Frid Lyngstad (Frida). "Não vamos nos reunir de novo. Está tarde para isso". Apenas metade do grupo original estava presente. Para homenagear a banda, Faith Hill cantou "The Winner Takes It All", enquanto Benny Anderson liderou a banda de apoio no piano.

Durante a noite, o produtor David Geffen recebeu o prêmio Ahmet Ertegun dedicado ao conjunto de sua obra. "Nunca sonhei que estaria no Hall da Fama do Rock. Eis a razão: eu não tenho talento", disse, aos risos.

Compositores do Brill Building, na Brodway, que colaboraram com o cantor Elvis Presley e grupos consagrados de garotas e R&B, nos anos 50 e 60, também foram homenageados na cerimônia: Jesse Stone, Mort Shuman, Otis Blackwell, Barry Mann, Cynthia Weil, Ellie Greenwich e Jeff Barry. As músicas deles foram cantadas por artistas como Chris Issak, Ronnie Spector, Eric Burdon, Fefe Dobson e Peter Wolf.