Harrison Ford dá resposta torta aos elogios de Donald Trump: "Força Aérea Um era apenas um filme"

Pré-candidato à presidência dos Estados Unidos afirmou ser fã do longa em que Ford interpreta um líder norte-americano

Redação Publicado em 11/12/2015, às 16h02 - Atualizado às 19h01

-
Joel Ryan/AP

Harrison Ford engrossou a lista de celebridades hostis ao pré-candidato à presidência dos Estados Unidos Donald Trump. Em entrevista a um programa de TV australiano, o ator de Star Wars, Indiana Jones e tantos outros clássicos não gostou de saber que o político do Partido Republicano é fã do trabalho dele.

A história do disco folk de Bernie Sanders, o socialista pré-candidato à presidência dos EUA.

Trump declarou recentemente que sua interpretação favorita de um presidente norte-americano no cinema é a de Ford em Força Aérea Um. No filme, o ator vive um dilema entre negociar com terroristas e ter sua família executada durante uma viagem de avião.

Na entrevista, Ford começa fazendo piadas com Trump, conhecido por suas posições polêmicas e conservadoras: “O amado Donald Trump? Que está concorrendo à presidência?”, ele brinca, antes de fazer uma careta. “Ele está concorrendo à presidência? Hum, achei que era residência. Ele acha que vai comandar o show? Não pode ser, acho que não.”

Ao ouvir que o político é fã de Força Aérea Um, Ford responde: “É um filme. Donald, é um filme. Não é assim na vida real”.

Assista à entrevista de Harrison Ford:

O bilionário empresário Donald Trump deixou a escritora britânica J.K. Rowling, autora de Harry Potter, inconformada ao declarar nos últimos dias que muçulmanos devem ser proibidos de entrar nos Estados Unidos enquanto as autoridades locais “não descobrem o que diabos está acontecendo.”

O comentário se referia a um atentado cometido por um casal de muçulmanos, na Califórnia, a um hospital que atende pacientes com deficiência – 14 pessoas foram mortas. Pelo Twitter, Rowling afirmou que Trump consegue ser pior que o vilão de sua história mágica, o Lorde Voldemort.

Além dela, a atriz Jennifer Lawrence já declarou que "Será o fim do mundo" se Trump vencer as eleições e artistas como Neil Young e os integrantes do Aerosmith exigiram que o político pare de usar músicas deles em seus comícios.