Histeria e lágrimas marcam apresentação do Simple Plan em SP

Em 1h40 de show, canadenses tocaram hits, beberam caipirinha no palco e fizeram 5300 pessoas perderem a voz de tanto gritar

Por Marcelo La Farina Cabrera Publicado em 26/03/2009, às 13h06

Pierre Bouvier comandou show de histeria das fãs, em São Paulo

Ver Galeria
(6 imagens)

A banda canadense Simple Plan é, de fato, um fenômeno teen. Duas horas antes do início da apresentação da banda em São Paulo nesta terça-feira, 24, as 5300 pessoas (majoritariamente meninas adolescentes) que esperavam pela banda entraram na pista do Credicard Hall correndo, gritando, chorando e arrastando pais, mães e irmãos mais velhos pelo braço.

O grupo Hóri foi escalado para esquentar a platéia. Em meia hora de apresentação, os cinco meninos tocaram cerca de dez músicas que mais pareciam uma única, com letras que variavam entre amor, falta e sofrimento juvenil. Para encerrar, "Blitzkrieg Bop", dos Ramones, recebida pelo público com expressões de "que música é essa?".

Às 22h20, as luzes se apagaram e a gritaria foi exageradamente ensurdecedora. Pierre Bouvier (vocal), Sébastien Lefebvre (guitarra), Chuck Comeau (bateria), Jeff Stinco (guitarra) e David Desrosiers (baixo) subiram ao palco (decorado de maneira simples e com temas urbanos) ao som de "My Generation"; daí para frente, um hit atrás do outro: "Shut Up!", "Jump", "When I'm Gone" e "Addicted".

Pierre e Sébastien conversaram com o site da Rolling Stone Brasil antes do show na capital paulista. Confira a entrevista aqui.

Interagindo bastante com o público, Pierre soltou a frase "São Paulo, eu te amo", em português, diversas vezes. Disse também que a banda não retornaria ao país tão cedo, e que, portanto, queria fazer do show algo inesquecível.

"Quando estivemos aqui em 2007, nos apaixonamos por um drink chamado caipirinha", disse o vocalista a certa altura da apresentação. Logo depois, um barman entrou no palco empurrando um carrinho, onde de longe era possível avistar uma garrafa de vodka. Para insatisfação dos pais, todos os integrantes do Simple Plan pegaram copos da bebida e brindaram à platéia, que dificilmente contava com maiores de idade.

Antes de saírem para o bis, apresentaram um pout-pourri com covers, entre eles "Low" (Flo Rida), "I Kissed a Girl" (Katy Perry) e "Summer Love" (Justin Timberlake).

Ao voltarem ao palco, uma surpresa: o Simple Plan estava completo, com exceção de Pierre, que surgiu em um palanque improvisado ao lado da mesa de som, bem no fundo da pista, para cantar "Untitled". Dando seguimento ao bis, "I'm Just a Kid", "Crazy" e "Perfect" colocaram ponto final ao show, à 0h.

Enquanto o público deixava o lugar, um grupo de aproximadamente dez meninas andava em comboio, como se estivessem grudadas umas nas outras, gritando desesperadamente por um dos seguranças. Alguém passando mal? Não. Todas seguravam, mesmo que com a pontinha dos dedos, a toalha que o vocalista usou para secar o suor e que depois jogou à platéia antes de sair do palco. "Segurança! Uma tesoura pelo amor de Deus! Queremos dividir a toalha, porque eu não solto isso nem que me paguem", gritava uma garota com lágrimas escorrendo pelo rosto.