Homem assume a responsabilidade por crime contra Tupac em 1994

Assassino preso diz que recebeu US$ 2.500 de um magnata da música pelo atentado ao rapper

Por Matthew Perpetua Publicado em 16/06/2011, às 20h05

Homem assume responsabilidade por crime contra Tupac (foto)
AP

Um homem chamado Dexter Isaac assumiu a responsabilidade pelo crime cometido contra Tupac Shakur (que completaria 40 anos nesta quinta, 16) no estúdios Quad, em Manhattan, em novembro de 1994. O episódio desencadeou uma sequência de reações de violência, em retaliação, resultando no assassinato tanto de Shakur, quanto de Notorious B.I.G., originalmente culpado pelo atentado.

Isaac, que atualmente está cumprindo uma sentença de prisão perpétua por assassinato e roubo, divulgou um comunicado ao site AllHipHop.com explicando que recebeu US$ 2.500 para cometer o crime a pedido de James "Jimmy Henchman" Rosemond, um figurão da indústria musical que, hoje, é o CEO da Czar Entertainment e o empresário do rapper Game.

No comunicado, Isaac pediu desculpa à família de Tupac e disse que manteve o silêncio até agora porque o estatuto das limitações para uma acusação de atentado expirou, e ele já não pode mais ser culpado por ele. Isaac também demonstrou arrependimento de ter se envolvido com Rosemond, a quem se refere como um "imbecil". Rosemond é, atualmente, um fugitivo, procurado pelo DEA e por agentes federais por causa de seu envolvimento em uma operação de tráfico de cocaína. Leia, abaixo, a íntegra do comunicado de Dexter.

Meu nome é Dexter Isaac. Na segunda, 23 de maio de 2011, James Rosemond divulgou um comunicado no qual citou o meu nome e o de outro indivíduo, o senhor Winston Harris (que eu não conheço), como informantes do governo. Eu gostaria de esclarecer algumas coisas sobre essa declaração: eu nunca fui um dedo-duro para ninguém e não tenho nenhum acordo, nem nenhuma agência do governo me prometeu nada por informações a respeito do senhor Rosemond.

O senhor Rosemond crucificou muitos bons repórteres como Chuck Phillips, do LA Times, e Alison Gendar, do Daily News, por falarem a verdade a respeito dele e suas atividades. Ele declara que eles não tinham nenhuma prova de que ele era um dedo-duro para o governo, o que é uma mentira, porque, senhor Rosemond, você assinou um acordo de oferta, com a procuradoria dos Estados Unidos, em Nova York, em 20 de outubro de 2008. Senhor Rosamond, eu tenho cópias de seu relatório de investigação pré-sentença da Carolina do Norte, datado de 13 de janeiro de 1997, além de outros documentos a respeito de você trabalhar com o governo, mandando pessoas que conheceu na prisão para que pudesse manter a própria liberdade. Eu conheci indivíduos que o senhor Rosemond dedurou.

Jimmy Rosemond, eu digo a você: eu mantive seus segredos por anos. Você nunca foi preso graças a mim. Como ousa me chamar de informante? Eu tenho mantido silêncio na prisão pelos últimos 13 anos, cumprindo uma pena perpétua, como um bom soldado deve fazer, quando você e todo mundo me deram as costas. Eu nunca tive nenhuma ajuda ou pedi alguma ajuda sua ou de qualquer outra pessoa desde que fui encarcerado.

Aliás, quando recebi a primeira notificação, há alguns anos, de que a polícia federal e Chuck Phillips estavam te investigando, eu te escrevi e mandei tudo que me mandaram. De qualquer forma, isso foi antes de descobrir que você já era, na verdade, um vira-casaca informante do governo. Senhor Rosemond, se eu fosse um informante, como você, estaria em casa há anos, com a minha família, não cumprindo pena de prisão perpétua.

Agora gostaria de esclarecer algumas coisas, porque o estatuto das limitações expirou, então, ninguém mais pode ser acusado, e estou simplesmente cansado de ouvir suas mentiras.

Em 1994, James Rosemond me contratou para assaltar 2Pac Shakur no estúdio Quad. Ele me deu US$ 2500, além de todas as jóias que levei, exceto um anel, que quis para ele. Era o maior dos dois aneis de diamante que levamos. Ele falou que queria colocar a pedra em outra armação para presentear sua namorada da época, Cynthia Ried. Eu ainda tenho, como prova, a corrente que levamos naquele dia do roubo.

Agora, não vou falar sobre a morte do meu amigo Biggie, ou da de 2Pac, mas gostaria de oferecer um desfecho para suas mães. Já passou da hora de alguém fazer isso e farei isso em outro momento. Jimmy, você e o Puffy gostam de se fazer de muito inocentes, mas como diz o ditado: você consegue enganar algumas pessoas, por algum tempo, mas não consegue enganar todas as pessoas o tempo todo.

Senhor Rosemond, te pergunto: você vai entregar também o Puffy quando os agentes federais te pegarem? Para se salvar, como fez no passado? É isso que um "rato" faz. Então, para concluir, veremos quem é o "rato" no futuro próximo. Se alguém tem alguma pergunta a respeito dessa declaração, ou somente quiser ser amigo de um soldado de verdade lutando por sua liberdade na prisão, fique à vontade para me escrever.