Pulse

Homem que matou John Lennon continuará preso por, pelo menos, mais dois anos

Mark David Chapman teve oitavo pedido de liberdade condicional negado

Redação Publicado em 23/08/2014, às 12h28 - Atualizado em 29/08/2014, às 13h26

Mark David Chapman
AP

Mark David Chapman, o homem que matou John Lennon em 1980, teve seu pedido de liberdade condicional negado. Ele permanecerá pelo menos mais dois anos em regime fechado. Após esta data, ele poderá entrar com um novo pedido.

45 anos depois, entenda os mistérios por trás da capa de Abbey Road.

Este foi o oitavo pedido de condicional negado a Chapman. Ele disparou quatro vezes nas costas de Lennon no lado de fora do apartamento dele em Manhattan no dia 8 de dezembro de 1980. Depois de ter sido julgado por assassinato em segundo grau, foi condenado a prisão perpétua com direito a pedir condicional após os 20 primeiros anos.

Galeria: as 12 músicas mais “esquisitas” de Paul McCartney.

Yoko se opõe à libertação de Chapman, condenado em 1981 a uma pena de, no mínimo, 20 anos e no máximo de prisão perpétua. Em dezembro de 2000 conseguiu o direito de solicitar sua liberdade, que tentou obter sem êxito a cada dois anos. A próxima solicitação dele para a liberdade condicional já está programada para agosto de 2016, segundo informaram as autoridades penitenciárias.