HOTLIST #47

A coluna semanal com os lançamentos mais quentes da música brasileira, escolhidos pela Rolling Stone Brasil

Redação | Curadoria: Isabela Guiduci (@isabelaguiduci), Julia Harumi Morita (@the_harumi) e Camilla Millan (@camillamillan) Publicado em 21/03/2021, às 10h00

None

Músicas para os desiludidos, hits para os apaixonados, canções para momentos de solidão e faixas para soltar a raiva do corpo. A HOTLIST #47 veio para acompanhar seu estado de espírito, seja qual ele for.

Duda Beat, Ego Kill Talent, Giovanna Moraes, Barro e Luísa Nascim são alguns artistas que lançaram singles, clipes ou discos guiados por sentimentos ou sensações que, muitas vezes, estão fora do nosso controle.

Além dos nomes citados, a lista das novidades mais quentes da música brasileira também conta com Ale Sater, Impavid Colossus, Theo Bial, Supervão, Lupe de Lupe, Daniel ADR, Bianca, Mc Zaac, Gilsons, KVSH, Vintage Culture, Sest e Daparte.

Confira a lista completa:

Duda Beat - "Meu Pisêro"

Duda Beat, a rainha da sofrência, voltou com mais um single para aquecer o coração dos românticos sensíveis e relutantes. No último domingo, 14, a cantora pernambucana disponibilizou nas plataformas digitais "Meu Pisêro", uma canção produzida e coescrita por Lux Ferreira e Tomás Tróia.

Neste conto mal-assombrado, Duda se segura contra um amor que acabou ao som de um piseiro pop irresistível. Os temores da artista ganham ilustrações descontraídas em cenários vintage no clipe dirigido por Cristina Streciwik, o qual foi inspirado em clássicos do terror.

"Pra mim, tá tudo perdoado /Ninguém é obrigado a me amar assim /Morri, eu fiquei aos pedaços /Mas tu não é culpado de não me amar assim," canta Duda nos últimos versos da canção de amor. [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Theo Bial - 'Pra Sonhar'

No último domingo, 14, Theo Bial começou uma nova fase na carreira. O músico carioca deixou o antigo nome artístico, Theozin, e os experimentos com a mpb, o rap e os beats eletrônicos para trás para mergulhar na bossa nova.

Com o EP Pra Sonhar, o músico traz poesias mais elaboradas sem deixar o tom singelo de lado. Composto por três músicas, a faixa-título ganhou um clipe leve e descontraído, dirigido por Lorenço Moura. (Confira o vídeo aqui!

A segunda música, "Mais Uma Vez", é um dos destaques do projeto. A faixa foi composta em parceria com Gabriel Miranda e do pai do artista, o jornalista Pedro Bial. A evolução do músico é surpreendente e, com certeza, nos deixa curiosos para acompanhar o que virá a seguir. [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Barro e Luísa Nascim - "De Novo"

Você é uma das pessoas que não vê a hora de encontrar, pegar, beijar ou amar alguém de novo? Então o novo lançamento de Barro e Luísa Nascim precisa fazer parte da sua playlist de quarentena.

Na última quarta, 17, os dois artistas se juntaram para lançar nas plataformas digitais "De Novo" pelo selo Zelo em parceria com a Altafonte. A faixa inaugura o projeto Pop Nordeste, no qual Barro busca misturar sonoridades locais com sons contemporâneos.

Produzida por Marley no Beat e TomBC, a canção de refrão viciante e dançante também ganhou um clipe levíssimo dirigido por Luara Olívia e Bruno Veras. [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Lupe de Lupe - "Cabo Frio"

Após lançar o provocante single "Goiânia", a banda Lupe de Lupe divulgou o segundo single do próximo disco da carreira, Trator, previsto para o dia 18 de maio.

Lançada pelo selo Balaclava Records em parceria com o coletivo Geração Perdida, a faixa "Cabo Frio" conta com Renan Benini nos vocais e retrata temas como a juventude, os amores e a sorte com um rock luminoso e cativante. [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Supervão - "Fim de Nós /Fim do Sol"

Na última quinta, 18, o duo Supervão compartilhou no Youtube o clipe de "Fim de Nós /Fim do Sol", faixa do EP Depois do Fim do Mundo, o qual foi lançado pela Neurokat Records junto com o Lezma Records em 2020.

Os beats latejantes, as texturas multidimensionais e os vocais distantes foram traduzidos por Filipi Filippo em imagens de um pôr do sol invadido por corpos metálicos que incorporam as batidas eletrônicas com movimentos contínuos - um registro da contemplação de um mundo que não existe mais, segundo a gravadora. [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Ego Kill Talent - 'The Dance Between Extremes'

Na última sexta, 19, o Ego Kill Talent lançou nas plataformas digitais a terceira e última parte do disco The Dance Between Extremes, o qual teve a primeira parte divulgada em junho de 2020.

O projeto foi produzido por Steve Evetts, que trabalhou anteriormente com Sepultura, The Cure e Frank Iero, e gravado no Studio 606, do Foo Fighters. No total, o álbum conta com 12 faixas, sendo cinco delas inéditas.

Na terceira parte do disco, Theo Van Der Loo (baixo e guitarra), Jean Dolabella (bateria e guitarra), Raphael Miranda (bateria,baixo e guitarra), Niper Boaventura (guitarra e baixo) e Jonathan Dörr (vocalista) continuam a explorar como sentimentos extremos refletem em nós mesmo e nas pessoas ao nosso redor.

Com referências do pop ao do neo soul, a banda traz nuances vibrantes para o rock explosivo deles. "Starving Drones (A Dinner Talk)", "The Call" e “Diamonds and Landmines” são canções que você não pode deixar de ouvir no último volume! [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Giovanna Moraes - 'III'

A cantora e multi-instrumentista Giovanna Moraes consegue construir uma atmosfera de magnetismo ímpar com vocais intensos, que brincam com as melodias das palavras e são acompanhados por uma escrita direta e muito bem pensada. Um som que inevitavelmente remete ao trabalho de Fiona Apple sem perder a originalidade.

Na última sexta, 19, a artista lançou nas plataformas digitais o terceiro disco da carreira, III. Ao retratar a solidão e outros sabores dos anos de amadurecimento que se inflamam em tempos de quarentena, cada faixa explora uma sonoridade própria, de um indie com toque de jazz até um pop eletrônico - claro, é preciso citar o cover cantado de "Are You Crazy, Julian?", do Boogarins

Também vale mencionar que cada música de III ganhou um lyric video, disponível no canal oficial de Moraes do Youtube. (Confira os clipes aqui!) [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Ale Sater - 'Fantasmas'

Depois de lançar os singles "Nós" e "Peu", os quais aparecem nas edições #43 e #46 da HOTLIST, respectivamente, Ale Sater (Terno Rei) disponibilizou nas plataformas digitais o EP Fantasmas com mais duas músicas inéditas. 

Lançado na última sexta, 19, pelo selo Balaclava Records, o projeto veio acompanhado por um álbum visual dirigido por Gabriel Rolim. Com quase 13 minutos de duração, o filme registra os movimentos banais e sutis em paisagens pitorescas da natureza, que contrastam com os sintetizadores inquietantes e os retratos urbanos dos versos do músico. [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Impavid Colossus - "Home Of The Brave"

Formada pelos músicos Enrico Minelli (vocais), Marcelo Barchetta (guitarra), Felipe Ruiz
(guitarra), Guilherme Malanga (baixo) e Alexandre Iafelice (bateria), a banda Impavid Colossus está disposta a provar que o rock não morreu.

Após participarem da bandas Rancore, Supla, Cruz, e Owl Company, os artistas se juntaram para fazer um rock eletrizante, que possui tons de metal, punk e hard rock.

Na última sexta, 19, a banda divulgou nas plataformas digitais "Home Of The Brave", o primeiro single do disco de estreia do grupo, Prologue, previsto para 2021. Lançado pelo selo Wikimetal Music, a canção também ganhou um clipe enérgico dirigido por Felipe Schmidt. [Texto: Julia Harumi Morita | @the_harumi]


Daniel ADR - ‘PJL’

Com as cinco faixas do EP PJL, Daniel ADR narra a vida dele na periferia de Belém. Com produção de Pratagy, Erick Di e Felipe Cordeiro, o projeto foi lançado na última sexta, 19 de março, com músicas que experimentam e mesclam RAP e house. 

Expoente no trap na cena de música preta de Belém, Daniel ADR apresenta em PJL um projeto bastante experimental ao explorar referências e mergulhar na música dos anos 1980 e na sonoridade dançante do house. O resultado: cinco faixas incríveis e envolventes. São elas: “Tiro de 12”; “PJL”, com Pelé do Manifesto; “Sex Appeal”, com Luê e Erick Di; “Vida Bandida”; e “É Fogo”. 

PJL é um livro cantado sobre a vida de Daniel ADR, que traz um compilado de crônicas “da sua quebrada” ao falar de violência, tráfico, amizade, amor e liberdade. Com um lirismo poético e sincero, o músico faz canções urgentes e necessárias de maneira complexa e impecável. [Texto: Isabela Guiduci | @isabelaguiduci]


Gilsons, KVSH e Vintage Culture - “Várias Queixas”

Várias Queixas”, hit da carreira do trio Gilsons - formado pelo filho e netos de Gilberto Gil: José, João e Francisco, respectivamente - ganhou uma nova versão na última sexta, 19, em parceria com os DJs Vintage Culture e KVSH. 

No remix, os versos românticos passam a ser acompanhados de um beat mais enérgico e dançante - e, a partir da sonoridade eletrônica, a música ganhou uma forma totalmente nova. Agora na versão de “Várias Queixas” com o toque de Vintage Culture e KVSH você pode se declarar dançando!  [Texto: Isabela Guiduci | @isabelaguiduci]


Sest e Daparte - “Não Me Entenda Mal”

Não Me Entenda Mal” é uma colaboração de Sest para o projeto “Sessão de Boa” com a banda Daparte. Na faixa, o artista divide a composição e vocais com João Ferreira, um dos vocalistas do grupo. Acompanhada de um clipe belíssimo e divertido, a canção foi lançada na última sexta, 19 de março.

A faixa se desenrola em um pop rock delicioso e dançante enquanto Sest e João cantam sobre as inseguranças de um eu-lírico apaixonado. “Não Me Entenda Mal” soa como uma confissão sobre um amor intenso, mas incerto. É aquele tipo de música fácil da gente se identificar… e não parar de escutar.  [Texto: Isabela Guiduci | @isabelaguiduci] 


Bianca e Mc Zaac - “Sem Perder a Pose”

Na última sexta, 19, “Sem Perder a Pose” estreou para ressaltar a atitude e liberdade sexual da mulher. A parceria entre Bianca e Mc Zaac mistura funk e pop em uma canção envolvente com beats marcantes - e o resultado é, certamente, um hit.

A música foi acompanhada de um clipe que evidencia a combinação de sedução e atitude da mulher - e a coreografia dá enfase ao objetivo da canção: não deixar ninguém parado. Somada à batida dançante, a letra entrega animação e um refrão que certamente será um sucesso. [Texto: Camilla Millan | @camillamillan]  

 


+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


+++ HUNGRIA HIP HOP | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL