“Homem mais odiado da internet” terá que pagar US$ 250 mil por difamação

Hunter Moore, criador do polêmico IsAnyoneUp, acusou falsamente de pedofilia o executivo de um site que combate o bullying

Redação Publicado em 13/03/2013, às 17h51 - Atualizado às 19h37

Hunter Moore
PETER YANG

Hunter Moore, conhecido como “o homem mais odiado da internet”, foi sentenciado por um juiz do estado de Nevada a pagar US$ 250 mil ao ativista antibullying James McGibney por difamação. A informação é do site Gawker.

Entrevista: Hunter Moore quer se tornar um novo rei da mídia, mas do modo antigo – por meio de drogas, mulheres e pornografia. Se ele tiver de rastejar na sarjeta a noite inteira, esse é só o preço do negócio.

A pena foi motivada porque em 2012 Moore acusou McGibney, dono do site que combate o bullying Bullyville, de "crimes sérios, que são difamatórios, incluindo pedofilia e a posse de pornografia infantil”. Moore ainda terá que pagar um valor adicional de mais de US$ 11 mil aos advogados e US$ 1.588,50 de custos relativos ao processo.

Segundo o Gawker, não foi fácil julgar Moore, já que ele chegou a se esconder fisicamente para não receber a ordem judicial de comparecer perante perante a corte. Quando finalmente aconteceu o julgamento, ele nem compareceu para se defender.

A polêmica página de “pornografia da vingança” mantida por Moore publicava fotos, geralmente de conteúdo sexual, de pessoas que não sabiam que estavam sendo clicadas. As imagens eram enviadas por ex-namorados dos retratadas.