A Noviça Rebelde chega aos 50 anos com números expressivos e homenagem de Lady Gaga

Filme faturou cinco prêmios no Oscar de 1966 e trilha sonora ficou por 70 semanas no topo das paradas norte-americanas

Redação Publicado em 02/03/2015, às 18h51 - Atualizado em 03/03/2015, às 01h10

A Noviça Rebelde
Reprodução

A poderosa apresentação de Lady Gaga – que cantou um pot-pourri da trilha de A Noviça Rebelde – na cerimônia da entrega do Oscar, no último mês de fevereiro - não apenas homenageou um dos mais celebrados musicais de todos os tempos. Aquela também foi uma maneira de lembrar a expressividade (tanto em bilheteria quanto em influência) do longa-metragem.

De 1939 a 2002: relembre 20 falas icônicas do cinema.

Lançado em 2 de março de 1965 – há 50 anos –, A Noviça Rebelde (cujo título original é The Sound of Music) começou a ser rodado em 1962, pela 20th Century Fox. O filme é baseado no musical de 1959, feito por Richard Rogers e Oscar Hammerstein.

O musical da Broadway, por sua vez, foi baseado no livro The Story of the Trapp Family Singers, escrito por Maria Augusta von Trapp, em 1949. Ela conta a história da vida dela ao lado da família e a fuga deles – a família Trapp saiu de Salzburgo, na Áustria, em 1938, depois da invasão nazista, e começou a fazer turnê pela Europa como um grupo de canto.

Relembre alguns dos beijos mais emblemáticos na história do cinema.

Nas telonas, Julie Andrews interpreta Maria von Trapp, retratada como uma noviça desastrada que acaba como governanta da família von Trapp (formada por sete filhos adeptos da cantoria e o pai das crianças, o militar e viúvo linha dura Georg von Trapp).

Conforme dá para perceber pelo sobrenome que Maria acabou adotando pelo resto da vida, o jeitinho dela conquista o capitão e eles acabam formando uma família.

Cinco prêmios no Oscar

A Noviça Rebelde faturou cinco prêmios da Academia em 1966. Além de Melhor Filme, a produção teve o Melhor Diretor (Robert Wise), Melhor Montagem, Melhor Som e Melhor Trilha Sonora.

O longa ainda concorreu – e perdeu – em outras cinco categorias: Melhor Atriz (Julie Andrews), Melhor Atriz Coadjuvante (Peggy Wood), Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte e Melhor Figurino.

Desbancou ...E o Vento Levou

Hoje filme mais rentável de todos os tempos – após alguns relançamentos –, ...E o Vento Levou (1939) chegou a rivalizar com A Noviça Rebelde em termos de popularidade.

Na época, o longa dos von Trapp bateu ...E o Vento Levou, assumindo o posto de maior bilheteria de todos os tempos. Nos Estados Unidos, A Noviça Rebelde é o terceiro colocado – com os valores da época ajustados – e, no mundo, ocupa a quinta posição entre as maiores bilheterias.

Proporcionalmente ao sucesso do filme, a trilha sonora de A Noviça Rebelde foi o álbum mais vendido no Reino Unido entre 1965 e 1968, ficando em segundo lugar em toda a década de 1960. Nos Estados Unidos, foram 70 semanas no topo das paradas.

Homenagem de Lady Gaga

No Oscar 2015, Lady Gaga cantou um pot-pourri com “The Sound of Music”, “My Favorite Things”, “Edelweiss” e “Climb Ev'ry Mountain”, rapidamente sobrepostas e em sequência. A cantora pop esbanjou potência vocal e fidelidade à obra original.

Lembre como foi a cerimônia do Oscar 2015.

A apresentação terminou com um encontro tocante entre Gaga e Julie Andrews, que chegou no final para agradecer pelo tributo. “Querida Lady Gaga, muito obrigada por essa homenagem maravilhosa!”, disse ela, visivelmente emocionada, após entrar em cena de forma elegante e contendo as lágrimas.

É indiscutível que a performance – impressionante pela boa execução e entoação vistosa – foi um dos momentos musicais mais surpreendentes da premiação de 2015 (rivalizando apenas com “Glory”, faixa de Selma: Uma Luta Pela Igualdade, cantada por Common e John Legend, que foi a vencedora do Oscar de Melhor Canção Original).

Assista abaixo a performance de Lady Gaga no Oscar 2015: