Ian Watkins, vocalista do Lostprophets, é condenado a 35 anos de prisão por abusar de menores

Sentença do músico foi revelada nesta quarta-feira, 18, após julgamento realizado em Cardiff, no País de Gales

Redação Publicado em 19/12/2013, às 12h38 - Atualizado às 17h36

Ian Watkins, da banda Lostprophets
AP

Após praticamente um ano entre denúncia, prisão preventiva e julgamento, Ian Watkins, vocalista da banda Lostprophets, foi condenado a 35 anos de prisão por abusos sexuais contra menores – incluindo um bebê. Segundo o juiz do caso, John Royce, o músico “superou os limites da depravação”.

Lojas britânicas não venderão mais os discos do Lostprophets após acusações de pedofilia e estupro.

Depois de se declarar inocente no caso, em junho, Watkins mudou seu discurso e admitiu culpa nas onze acusações de pedofilia. Em uma delas, o músico incentivou uma fã do Lostprophets a abusar dos próprios filhos em um chat virtual.

Watkins foi condenado a 29 anos de prisão e outros seis de liberdade condicional. As duas mulheres acusadas como cúmplices dele, foram sentenciadas a 14 e 16 anos.

Os outros integrantes do Lostprophets decidiram colocar um fim da banda em outubro deste ano. O mais recente trabalho do grupo, o álbum Weapons, havia sido lançado em abril de 2012.

A polícia ainda investiga o cantor, para descobrir se o músico cometeu crimes similares em outros lugares, como Estados Unidos e Alemanha.