Pulse

Iggy Pop e Lars Ultrich, do Metallica, relembram Lou Reed; assista

"Ele estava tentando ser um artista de verdade", diz o líder do The Stooges

Rolling Stone EUA Publicado em 26/04/2017, às 17h55 - Atualizado às 19h19

Iggy Pop em vídeo de entrevista com Lars Ultrich, do Metallica
Reprodução

Iggy Pop foi o convidado ilustre que abriu os shows do Metallica nas três apresentações que o grupo fez na Cidade do México, em março.

LEIA TAMBÉM

[Lista] Dez canções de Iggy Pop

Iggy Pop chega aos 70 anos

Iggy Pop solta música acústica inédita; ouça “Asshole Blues”

Além das apresentações, a viagem ao México rendeu uma conversa de Pop com Lars Ulrich, baterista do grupo, durante a qual eles comentaram como foi trabalhar com Lou Reed, amigo em comum dos dois artistas. Os músicos também falaram sobre a gravadora Elektra, o artista Jean-Michel Basquiat e outros temas. O papo completo está no site do Metallica.

Entre histórias sobre tocar com Reed e assistir ao Velvet Underground, Pop explicou como foi o primeiro encontro dele com o cantor. “Eu o conheci pelos agentes do David Bowie”, disse. “Na época, eles estavam prestes a assinar um contrato comigo, e também trabalhavam como produtores do Lou. Eles comentaram com o Reed sobre mim, dizendo que eu precisava de algumas músicas boas, porque não gostavam das minhas. E foi assim que eu o conheci. A ideia era ele me vender algumas faixas”, relembrou.

Ulrich, por sua vez, explicou como o show do 25º aniversário do Hall da Fama do Rock, em 2009, no qual tocaram juntos, fez com que o Metallica se unisse a Lou Reed para criar Lulu (2011). O baterista confessou que Reed ficou chateado com a recepção negativa do disco pela mídia. “Nós somos bem durões, e se gostamos do que fazemos, é o que importa. Mas acho que ele ficou realmente triste com a resposta ao Lulu e eu senti como se os papéis se invertessem, e eu passasse a consolá-lo naquele mês depois que o álbum foi lançado”, disse.

Em um outro momento do vídeo, Pop compartilha sua opinião sobre Lulu, ao dizer que “(Lou) estava tentando ser um verdadeiro artista”, frase que puxa uma discussão sobre como Reed não deixava as pessoas saberem sobre a gravidade de sua doença na época de produção do trabalho.

Assista abaixo.