A incrível história de como Stephen King jogou no lixo a história de Carrie, a Estranha e foi salvo pela esposa

O autor quase aceitou uma proposta de emprego que o deixar sem tempo para escrever, mas foi dissuadido pela parceira

Redação Publicado em 14/09/2020, às 12h02

None
Stephen King (foto: reprodução/ AP)

Alguns não sabem, mas o pai do terror Stephen King se apaixonou e casou com Tabby King por causa do amor de ambos pela arte de escrever. Juntos, eles se incentivaram e foram igualmente responsáveis pelo sucesso no mercado editorial. Tabby, inclusive, tem um papel vital em Carrie, a Estranha, primeiro best-seller de Stephen (via Mentalfloss).

No início, o casal King escrevia no tempo livre. Enquanto Tabby tentava emplacar coletâneas de poesia em uma editoria, Stephenvendia contos de terror e sci-fi para revistas masculinas. Os contos acarretaram críticas sobre a incapacidade dele de escrever sobre mulheres.

+++LEIA MAIS: It: Por que os integrantes do Clube dos Perdedores não podem ter filhos?

Essas críticas motivaram Stephen a escrever Carrie. De início, ele ficou frustrado por não se contentar com a representação feminina que fez e descartou a possibilidade vender a história como conto para uma revista, jogando as três páginas que escreveu no lixo. Além disso, ele aceitaria um novo cargo de professor na escola que já trabalhava para receber mais US$ 300 por ano, mas deixaria ele sem tempo para escrever.

Mas Tabby achou o manuscrito no dia seguinte e as salvou. "Você tem algo aqui", disse ela. "Eu realmente acho que você faz." Nas semanas seguintes, Tabby guiou o marido pelo mundo feminino, dando dicas de como moldar os personagens e a famosa cena do chuveiro. Nove meses depois, King havia finalizado a versão final.

+++LEIA MAIS: Clássico de Stanley Kubrick,O Iluminado foi inspirado por série de TV inusitada; conheça

Trinta editoras rejeitaram o manuscrito. Porém, a editora Doubleday adorou o livro e o publicou em capa dura, notícia que Stephen recebeu primeiro da esposa. Com US$ 2500 de entrada por Carrie e modestas 13 mil cópias vendidas no final, o casal achou que a obra cumpriu a missão e partiram para continuar perseguindo a carreira de escritores. 

Porém, meses depois, já de carro novo, fora do trailer em que a família vivia e já trabalhando no próximo romance, Stephen King recebeu a ligação novamente da Doubleday: "Você está sentado?" perguntou o editor. King estava sozinho em casa, parado na porta entre a cozinha e a sala de estar. "Eu preciso?" ele disse.

"Você pode se sentar", disse. "Os direitos para venda como brochura de Carrie foram para a Signet Books por US$ 400 mil... 200 mil são seus. Parabéns, Stephen.

+++LEIA MAIS: O que Stephen King achou de Doutor Sono, sequência de O Iluminado?

King parou de dar aulas e Tabby parou de trabalhar na lanchonete de donuts. E três anos depois, Stephen comprou outro presente para Tabby. Ele visitou a chique joalheria Cartier em Manhattan e comprou um anel de noivado para ela. Eles estavam casados ​​há seis anos.


+++ BK' lança novo disco e fala sobre conexão com o movimento Vidas Negras Importam: 'A gente sabia que ia explodir'