Indicado ao Oscar por Cidade de Deus, Daniel Rezende está à frente da nova produção nacional da Netflix

Ninguém Tá Olhando é sobre um anjo da guarda que não consegue se conformar com a arbitrariedade das ordens que recebe

Redação Publicado em 29/05/2018, às 15h44 - Atualizado às 17h00

Daniel Rezende diz que trabalhar com Terrence Malick foi transformador

Ver Galeria
(2 imagens)

A Netflix anunciou nesta terça, 29, o início da produção de uma nova série original brasileira, chamada Ninguém Tá Olhando. Daniel Rezende, diretor de dois dos oitos episódios de O Mecanismo, é responsável pela direção. Esta é a primeira colaboração da plataforma de streaming com os produtores Caio e Fabiano Gullane.

A mistura de comédia com drama centra a história na figura de Uli, um anjo da guarda que não consegue se conformar com a arbitrariedade das ordens que recebe todos os dias do “chefe” e que, por isso, decide se rebelar.

Segundo Daniel Rezende, em comunicado enviado à imprensa, “Ninguém Tá Olhando adiciona uma dose de humor ácido a questões complexas da humanidade e explora a relatividade de conceitos como ‘bem’, ‘certo’ e ‘verdade’. A ideia é subverter concepções pré-estabelecidas para refletirmos sobre elas, logo após recuperarmos o fôlego de boas risadas”.

Rezende chegou a ser indicado ao Oscar na categoria de Melhor Edição e ganhou o BAFTA pelo filme Cidade de Deus (2002), dirigido por Fernando Meirelles. Ainda como editor, ele assinou diversos trabalhos, como Diários de Motocicleta, Água Negra, Tropa de Elite (o original e a sequência), 7 dias em Entebbe e Sobre a Cegueira, entre outros. Como diretor, lançou seu primeiro longa. Bingo, o Rei das Manhãs, em 2017.

Ninguém Tá Olhando entra para a lista de séries originais brasileiras da Netflix, assim como 3% e O Mecanismo, já disponíveis na plataforma, e Samantha!, que estreia em 6 de julho. Já foram anunciadas Sintonia, uma parceria entre Netflix e o diretor de vídeos de funk Kondzilla, além do drama de época Coisa Mais Linda.