Sónar SP: indie experimental do Little Dragon atrai plateia numerosa

Carisma da vocalista Yukimi Nagano e energia do baterista se destacaram no show da banda no festival

Bruna Veloso Publicado em 12/05/2012, às 09h40 - Atualizado às 15h30

Little Dragon no Sónar

Ver Galeria
(3 imagens)

Na primeira noite do Sónar SP, iniciado nesta sexta, 11, boa parte dos shows começou com 30 minutos de atraso. Assim também foi a apresentação da banda sueca Little Dragon, que se iniciou à 1h30 da madrugada deste sábado, 12, no palco Sónar Hall.

O local é uma atração à parte: o anfiteatro onde o quarteto se apresentou (e que também recebeu, antes, o rapper Criolo) é um ótimo espaço, com confortáveis cadeiras, ar condicionado e uma área à frente do palco para quem prefere ficar de pé. O som experimental do quarteto atraiu, de início, muita gente – não só dançando, como também descansando naquele que é o ambiente mais “tranquilo” do festival.

A vocalista Yukimi Nagano, de ascendência japonesa, surgiu no palco muito animada, embora o som do grupo às vezes tenda para um trip-hop viajante. “Como vocês estão? É nossa primeiríssima vez no Brasil. Vocês conhecem a música ‘Ritual Union’?”, ela perguntou antes de a banda apresentar a faixa-título do mais recente disco deles, de 2011.

Os vocais de Yukimi passeavam entre o doce e o rasgado, enquanto ela dançava constantemente ou usava o que parecia ser um MPC instalado ao lado de seu microfone. Ela também interagiu muitas vezes com o baixista Fredrik Källgren Wallin, que em alguns momentos, como em “Brush the Heat”, deixou o instrumento para se encarregar de alguns efeitos.

Embora ela seja menos sorridente, dá para dizer que o carisma de Yukimi lembra o de Kim Schifino, a baterista sempre contente do Matt & Kim. Erik Bodin, baterista do Little Dragon, também lembra a instrumentista, mas no jeito energético com que comanda seu instrumento mezzo orgânico, mezzo eletrônico.

O repertório de 65 minutos privilegiou Ritual Union, com bons momentos nas faixas citadas acima e em “Shuffle a Dream”, “Summerheartz” e “Precious”, que fechou o set list no melhor clima piração-indie-experimental do grupo. Ao longo do show muita gente deixou o local, talvez por conta do Chromeo, que começou a apresentação às 2h30 no palco Sónar Club. Mas, mesmo assim, o Little Dragon cativou uma plateia fiel – no final, houve até um fã que subiu ao palco e praticamente beijou os pés de Yukimi.