Indústria pornô congela produção por coronavírus

A produção de pornô é afetada pelas medidas de distanciamento social incentivadas pelos governos

Ej Dickson, Rolling Stone EUA Publicado em 19/03/2020, às 07h00

None
Set de filmagens para produção adulta (Foto: Julie Jacobson/AP/Shutterstock)

Apesar do pânico global em torno do coronavírus(COVID-19), na semana passada, a indústria adulta permaneceu relativamente intocada, continuando os negócios como de costume e retomando as filmagens - mesmo com a cautela dos artistas em estarem no set. 

+++ LEIA MAIS: Coronavírus pode custar mais de R$ 22 bilhões à indústria cinematográfica mundial; entenda

No entanto, à medida que a situação em torno do coronavírus evolui rapidamente e as autoridades do governo incentivam o distanciamento social, todas as indústrias estão sendo afetadas e o mundo pornô não é exceção.

Na última segunda, 16, a publicação do setor Xbiz informou que o Free Speech Coalition (FSC), lobby da indústria adulta, pede um "desligamento voluntário" em todo o setor até o final de março. 

+++LEIA MAIS: Filha de Steven Spielberg, Mikaela inicia carreira como atriz pornô: 'Cansei de não poder monetizar meu corpo'

A declaração foi feita depois do pedido do governador da Califórnia, Gavin Newsom, para empresas não essenciais serem encerradas imediatamente, aplicando-se a todos os artistas que estão filmando com parceiros que "não fazem parte da família".

Segundo o porta-voz do FSC Mike Stabile, o pedido de moratória é "apenas preventivo". "O governador e as autoridades de saúde pública pediram o fechamento de todos os negócios não essenciais, por isso estamos fazendo o possível para aplanar a curva", disse ele à Rolling Stone EUA. "Não tivemos um caso de COVID-19 que conhecemos em nenhum lugar da comunidade adulta".

+++LEIA MAIS: Steven Spielberg está ‘preocupado’ e ‘envergonhado’ com carreira da filha na indústria pornô, diz fonte

Esta não é a primeira vez que a indústria adulta suspende temporariamente as filmagens. A indústria emitiu uma moratória de uma semana pela última vez em 2018, depois que um artista pornô adulto ter resultado positivo para HIV (mais tarde, descobriu-se que ele havia contraído o vírus).

Os artistas pornô são obrigados a testar DSTs a cada 14 dias para reduzir o risco de transmissão no set, e Stabile confirmou continuar o sistema de testes durante o desligamento. 

+++LEIA MAIS: Tom Morello relaciona Beatles com coronavírus para fazer alerta sobre a doença; entenda

"Esta não é uma retenção de produção típica na qual identificamos uma ameaça específica ao grupo de artistas e estamos trabalhando para isolá-lo", diz ele. "Esta é a indústria adulta que responde às autoridades de saúde pública e trabalha com a sociedade em geral para proteger populações vulneráveis ​​e o sistema de saúde".

No entanto, como a Rolling Stone EUA relatou anteriormente, os artistas adultos são contratados independentes, normalmente sem seguro de saúde ou licença médica paga caso adoeçam. Como muitos outros trabalhadores independentes em outros setores, o COVID-19 pode ter um tremendo impacto nas finanças individuais, forçando-os a encontrar outros meios de renda caso não consigam filmar.

+++LEIA MAIS: 5 livros que narraram epidemias como a do coronavírus

Felizmente, muitos artistas já possuem formas alternativas de receita, como filmar e criar conteúdo personalizado para os fãs. "Estamos incentivando isso desde o início, e esperamos ver uma mudança nesse sentido", diz Stabile.

Ele também acrescentou que várias empresas se ofereceram para ajudar a promover artistas pornôs que desejam migrar das plataformas pornô para trabalhos de filmagem: "Esta é uma situação sem precedentes e, como todas as indústrias, teremos que encontrar uma maneira de resolver isso e ajudar nossos artistas e produtores a sobreviver", diz ele.

No entanto, resta saber se todos os que dependem apenas da receita das filmagens vão aderir ao pedido de paralisação voluntária.


+++ GUNS N' ROSES: 11 FATOS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A BANDA