Integrante do Ace of Base fala sobre supostas ligações com nazistas no passado

Ulf Ekberg admite se arrepender dos ideais de extrema direita que defendia na juventude, mas nega ter composto letras de conteúdo racista com uma antiga banda

Redação Publicado em 26/04/2013, às 14h25 - Atualizado às 14h51

Ace of Base
AP

Na última quinta, 25, o site Noisey retomou um assunto que já circulava há alguns anos, mostrando supostas provas de que o integrante do Ace of Base Ulf Ekberg (à esquerda na foto) tem um “passado nazista”. O veículo associou uma banda que Ulf integrava antes da formação do Ace of Base, a Commit Suicide, a letras perturbadoras nas quais é evocado o ódio a imigrantes e fala-se de “homens de capuz branco”. O site ainda publicou uma foto que seria do jovem Ulf fazendo uma saudação nazista.

O músico de 42 anos, que hoje é um homem de negócios, conversou com o site do canal E! a respeito. Ele admite que se arrepende de “alguns dos pensamentos daqueles dias”, que ele considera “nauseantes”. Mas explica que a banda Commit Suicide não escreveu essas letras polêmicas que são creditadas a ela. Uma fita demo com o nome desse grupo tem circulado desde 1996. Nela, há duas canções que realmente são do Commit Suicide e quatro que não são – dentre estas estão canções com letras que expressam ideais da extrema direita. “Essas músicas não têm absolutamente nada a ver com o Commit Suicide. A gente não compôs nem interpretou essas faixas atribuídas há nós”, disse ele.

"O Commit Suicide era uma banda de música New Wave que compunha e tocava música eletrônica em sintetizadores sem qualquer intenção política", continuou. "As músicas racistas nessa demo não eram nossas, mas nossa potencial associação com esse tipo de grupo é algo de que realmente me arrependo.”

Ele ainda negou outra acusação do site, que é a de ter sido afiliado ao partido de direita Democratas Suecos: “Isso é um erro factual”, diz ele, acrescentando que seus erros do passado foram ainda mais grave do que isso. "Sempre me arrependi muito daquela época da minha vida. Eu tento levar felicidade para as pessoas e naquele período eu não estava fazendo isso”, disse, se referindo a seu “comportamento e ideais” na década de 80. "Eu não me envolvi em qualquer tipo de violência ou ativismo político nos últimos 25 anos”, afirmou, dizendo que suas opiniões naquela época eram "baseadas em um julgamento errado e ignorância”.

Em um comunicado publicado pelo Huffington Post, o músico explicou: “durante a década de 90, dei dezenas de entrevistas, no mundo todo, a respeito de pessoas com quem me associei nos anos 80 e o quanto me arrependia profundamente de me envolver com esses indivíduos. Essas entrevistas cobriram todos os aspectos do meu passado em uma tentativa de ser um livro aberto a qualquer um que perguntasse. Já faz 20 anos que resolvi assumir meu passado, uma decisão que tomei sozinho na época e da qual não me arrependo”. Mais adiante, ele diz: “os erros adolescentes que cometi em termos dos ideais que escolhi na época foram infelizes e se eu pudesse voltar àqueles dias eu teria feito as coisas de forma muito diferente! Eu sinto muito e profundamente se causei alguma dor ou decepção aos nossos fãs e gostaria de deixar muito claro que o Ace of Base nunca compartilhou de nenhuma dessas opiniões e é absolutamente contra opiniões extremistas, tanto de esquerda, quanto de direita”.