Integrante do Pussy Riot vai a solitária depois de tensão com outras presas

Maria Alyokhina solicitou transferências para evitar consequências graves

Redação Publicado em 23/11/2012, às 11h32 - Atualizado às 11h58

Pussy Riot
AP

Mesmo depois da condenação de dois anos de prisão, a situação para o Pussy Riot ficou ainda pior. A integrante Maria Alyokhina, de 24 anos, foi encaminhada à cela solitária a seu próprio pedido, porque estaria tendo dificuldades para se relacionar com as outras detentas. As informações são da agência Reuters.

Galeria: relembre bandas e atores que, ao defender causas, arrumaram problemas com autoridades.

“Algumas tensões surgiram nos relacionamentos e, aparentemente, para evitar que essa situação se agrave, ela decidiu submeter uma solicitação à liderança da prisão, e eles a transferiram para uma cela solitária”, explicou um porta-voz do serviço carcerário. Recentemente Maria foi transferida de uma prisão em Moscou para outra na região dos Montes Urais, a mais de mil quilômetros da capital.

Ela e Nadezhda Tolokonnikova estão cumprindo pena de dois anos de prisão por vandalismo após comandarem protesto contra o presidente Vladimir Putin em uma catedral de Moscou. Uma terceira integrante da banda, Yekaterina Samutsevich, também chegou a ser presa, mas conseguiu liberdade ao recorrer da pena.

História virou livro polêmico

A editora Algoritm resolveu utilizar a história das três integrantes da banda para compor o livro Pussy Riot: Chto Eto Bylo (Pussy Riot: O que foi isso?, em tradução livre). O problema foi que a empresa russa publicou a obra sob os nomes das musicistas sem a autorização delas, sendo apenas uma compilação de entrevistas.

Sergei Nikolayev, diretor da editora russa, admitiu o erro, segundo noticiou o site da revista The Hollywood Reporter. “Os textos reunidos neste livro foram tirados de fontes públicas, mas confirmamos que nem Tolokonnikova, nem Samutsevich, nem Alyokhuina, ou algum de seus representantes, tenham nos dado a permissão.”

Empresa e banda agora negociam a publicação da obra. Enquanto isso, três lojas online na Rússia já fornecem a pré-venda do livro.