Integrantes do Pixies contam como foi a saída de Kim Deal: “Por três ou quatro dias ficamos de luto”

Banda voltou ao estúdio no início deste ano, mas perdeu a baixista original

Rolling Stone EUA Publicado em 07/10/2013, às 14h26 - Atualizado às 14h32

Pixies
SALVATORE DI NOLFI/AP

O Pixies estava no País de Gales no começo deste ano, para gravar as primeiras músicas inéditas desde 1991, quando a baixista e vocalista Kim Deal soltou a bomba. “Estávamos em uma pequena cafeteria perto do estúdio”, lembra o vocalista Black Francis. “Kim entrou em determinado momento e disse: ‘Estou viajando para casa amanhã’. Ela saiu da banda, foi um momento estranho. Não nos abraçamos ou apertamos a mão nem nada. O [guitarrista] Joey [Santiago] e eu simplesmente levantamos e dissemos: ‘Ok’. Então tínhamos que sair de lá imediatamente e fomos a um bar. Tivemos que sair do café e ir para o álcool”.

As 15 separações mais conturbadas do rock: Pixies.

Por alguns dias, parecia que realmente seria o fim da banda. O Pixies era formado por Black Francis, Kim Deal, David Lovering e Joey Santiago desde que começaram a tocar em bares em 1986. Continuar sem a integrante mais carismática parecia uma tarefa difícil, mesmo que o grupo já tivesse agendado sete semanas de gravações com o produtor Gil Norton.

“Por três ou quatro dias ficamos de luto”, lembra o baterista David Lovering. “Mas não tivemos tempo para isto porque tínhamos o estúdio agendado e um monte de coisas para gravar. Simplesmente arregaçamos as mangas e dissemos: ‘Temos que acabar isso’”. A banda apagou as partes de Kim e chamou o baixista de PJ Harvey, Simon “Ding” Archer, para auxiliar nas gravações.

Foi no início de julho que a banda anunciou que a substituta seria Kim Shattuck, vocalista do Muffs. Mesmo sem a baixista original, a banda finalizou o trabalho em estúdio e agora começa a apresentar o resultado ao público. Na semana passada, o Pixies subiu ao palco em Los Angeles e deu início a uma turnê que pode inclusive passar pelo Brasil – o grupo é um dos que podem se apresentar no Lollapalooza, no ano que vem.