Integrantes do Pussy Riot saem da Rússia para evitar prisão

Depois de sentenciar três mulheres do grupo a dois anos de prisão, justiça de Moscou anunciou que está a procura de outros membros

Miriam Coleman Publicado em 27/08/2012, às 11h02 - Atualizado às 11h05

Pussy Riot
AP

Duas integrantes da banda punk feminista Pussy Riot deixaram a Rússia para evitar que fossem presas, informou o jornal britânico The Guardian.

Arte e ativismo: relembre bandas e atores que, ao defender causas, arrumaram problemas com autoridades.

Na semana passada, a polícia russa anunciou que estava procurando por outras integrantes do grupo depois que Nadezhda Tolokonnikova, Maria Alyokhina e Yekaterina Samutsevich (foto) foram sentenciadas a dois anos de prisão por vandalismo por causa da “oração punk” contra Vladimir Putin que fizeram em uma catedral de Moscou. As suas mulheres que acabaram de sair do país também participaram da performance.

“No que diz respeito à busca, duas de nossas integrantes voaram do país com sucesso! Elas estão recrutando feministas estrangeiras para preparar novas ações!”, informou uma mensagem no Twitter do Pussy Riot.

“Já que a polícia de Moscou disse que está procurando por elas, elas serão discretas por enquanto”, contou Pyotr Verzilov, marido de Nadezhda Tolokonnikova, à Reuters. “Elas estão em um lugar seguro, fora do alcance da polícia da Rússia.”

Verzilov também afirmou que entre 12 a 14 membros do grupo ainda estão ativas na Rússia. “É um grande coletivo”, completou.