Rolling Stone EUA gera polêmica com matéria de capa com Jahar Tsarnaev, um dos acusados do atentado ocorrido na maratona de Boston

Veja aqui cinco revelações obtidas pela jornalista Janet Reitman, que entrevistou diversas pessoas para traçar o perfil de Tsarnaev

redação Publicado em 17/07/2013, às 13h03 - Atualizado às 16h01

RS EUA - Boston Bomber
Divulgação

Atualizada às 15h51

Na nova edição da Rolling Stone EUA, a editora contribuinte Janet Reitman apresenta uma reportagem que se aprofunda na vida de Dzhokhar Jahar Tsarnaev, que ao lado do irmão Tamerlan é acusado de ser o autor do atentado com bombas à maratona de Boston, em abril deste ano. A divulgação da matéria de capa está gerando polêmica nos Estados Unidos, já que muitos leitores acreditam que estampar Jahar na capa concede certo “glamour” ao ato de terrorismo. Clique aqui para ver a imagem da capa ampliada.

A jornalista passou os últimos dois meses entrevistando dezenas de fontes – amigos de infância e do ensino médio, professores, vizinhos e policiais, sendo que muitos desses nunca tinham falado sobre o caso antes. A matéria reconta toda a vida de Jahar, de jovem encantador com um futuro brilhante pela frente até se tornar – conforme é acusado – um criminoso. A seguir, cinco revelações a respeito de Tsarnaev que estão na matéria "Jahar's World":

45 anos de história: um passeio pelas icônicas capas da Rolling Stone EUA.

1) Quando Jahar estava no barco, cercado de homens da SWAT e da polícia, os agentes do FBI que estavam negociando mencionaram que o ex-técnico de luta livre dele havia feito um apelo público para que ele se entregasse. Um agente que estava no local contou ao treinador, posteriormente, que é possível que a menção de seu nome e a memória desse passado convenceram Jahar a desistir.

2) Mais ou menos em 2008, o irmão mais velho de Jahar, Tamerlan, confessou para a mãe que Jahar sentia que havia “duas pessoas” dentro dele. Ela contou isso a um amigo próximo, que achou que ele precisava de um psiquiatra, mas Zubeidat acreditava que a religião seria a cura para seu filho, seus demônios internos e sua instabilidade mental cada vez maior. Então, ela o incentivou a mergulhar ainda mais no islamismo.

3) A escola onde Jahar cursou o ensino médio, a Cambridge Rindge and Latin, é famosa pela sua diversidade, mas Jahar não alardeava o fato de ser muçulmano. Contudo, conforme seu irmão e sua mãe se tornavam mais religiosos, ele passou a frequentar um pequeno grupo de orações toda sexta-feira, na hora do almoço. Uma vez, ficou muito chateado quando um amigo que tinha se convertido ao islamismo falou sobre isso de maneira casual. "O Islam não era casual para Jahar", diz outro amigo. “Ele levava sua religião a sério.”

Quem tirou a roupa na capa da Rolling Stone.

4) Jahar contava poucos detalhes da vida problemática que tinha em casa, mesmo para seus amigos mais íntimos. Nos meses que antecederam o atentado, sua família tinha se desintegrado. Seus pais estavam morando na Rússia. Suas duas irmãs mais velhas estavam afastadas. Apenas Tamerlan, que estava se tornando cada vez mais devoto e julgando todos que não fossem muçulmanos, ainda estava em Boston. Quando um dos amigos de Jahar pediu para conhecer Tamerlan, Jahar disse: "Não, você não quer conhecê-lo".

5) Jahar nunca falava sobre o 11 de setembro. Porém, uma vez, ele deixou escapar para um amigo do colegial que achava que os ataques terroristas poderiam ser justificados e racionalizou isso apontando para as políticas dos Estados Unidos em relação a países muçulmanos e para os ataques norte-americanos com drones, além de outros ataques.

Comunicado

Após a polêmica em torno da capa, os editores da Rolling Stone EUA divulgaram um comunicado. Leia abaixo:

Nossos corações estão com as vítimas do atentado à maratona de Boston, e nossos pensamentos estão sempre com elas e suas famílias. A matéria de capa que estamos publicando essa semana está dentro da tradição do jornalismo e do longo comprometimento da Rolling Stone com uma cobertura séria dos assuntos políticos e culturais mais importantes do nosso tempo. O fato de Dzhokhar Tsarnaev ser jovem, da mesma idade que muitos de nossos leitores, torna ainda mais importante para nós examinar as complexidades desse assunto e ganhar um entendimento mais completo de como uma tragédia como essa acontece."