The Jacksons volta ao Brasil depois de 45 anos com homenagem a Michael Jackson, garante Tito Jackson

Banda com irmãos do Rei do Pop, desfalcada de Jermaine, faz dois shows no País: sábado, 16, em São Paulo; terça, 19, em Porto Alegre

Paulo Cavalcanti* Publicado em 15/03/2019, às 16h51 - Atualizado às 16h52

None
Banda The Jacksons (Foto: Divulgação)

O grupo The Jackson 5, com Michael Jackson e seus irmãos, veio apenas uma vez ao Brasil. Foi no ano de 1974, uma época de transição para os músicos de Gary, Indiana. Em breve, eles deixariam a famosa gravadora Motown, de Detroit, mudariam o nome para The Jacksons e assinariam com o selo Epic.

Quando estiveram por aqui, passaram por várias partes do país e também apareceram na extinta TV Tupi.

Tempos depois, Michael Jackson, em sua carreira solo, tornou–se o controvertido Rei do Pop. Em 1993, o cantor realizou várias apresentações solo no Brasil.

Já os irmãos dele passaram por altos e baixos em suas vidas e carreiras. Mas agora eles estão novamente na estrada e em breve estarão no em nosso país.

The Jacksons irão se apresentar em março, nos dias 16 (no Espaço das Américas, em São Paulo) e no dia 19 (no Auditório Araújo Vianna, em Porto Alegre).

Jermaine não vem mais

Hoje a banda é formada por Jermaine, Jackie, Marlon e Tito Jackson. Randy, que em 1975 entraria oficialmente para formação, não está no line-up atual.

A formação, contudo, sofreu uma mudança de última hora. Jermaine, o terceiro irmão mais velho de Michael Jackson, não virá ao Brasil para as apresentações do The Jacksons. A produção do evento divulgou a notícia junto com uma explicação pela ausência do músico, oferecida diretamente pelos integrantes do grupo:

"É com profundo pesar, e devido a circunstâncias além do nosso controle, que Jermaine Jackson teve que, relutantemente, se retirar da turnê sul-americana, atendendo a conselhos médicos. Não há motivos para preocupação mas, devido a necessidade de cautela, ele não pode viajar."

Os shows no Brasil seguem confirmados, mas a empresa oferece reembolso dos ingressos.

Mais informações aqui.

Roteiro com homenagem a Michael Jackson

De todos os irmãos Jackson, o guitarrista Toriano Adaryll Jackson, mais conhecido como Tito, sempre foi o mais reservado. Em uma conversa por telefone, o cantor e guitarrista, de 65 anos, falou sobre o show e também sobre os projetos que tem quando não está com sua ilustre família.

“Estes shows serão uma verdadeira festa”, ele fala sobre a apresentação. “Nós tivemos um número bem grande de hits e todos eles serão apresentados no palco. Nós abrimos com ‘Can You Feel It’ e ‘Blame it on Boogie’. Fazemos um medley com os hits da época da Motown, incluindo ‘ABC’, ‘I Want You Back’ e ‘The Love You Save’. Temos a parte das baladas, que inclui “Never Can Say Goodbye” e ‘I’ll be There’. Encerramos com ‘Shake Your Body (Down to the Ground)’. E ao fundo, no telão, passamos imagens das décadas de 1970 e 1980. É também uma homenagem nossa ao Michael”.

Quando perguntado se lembra da primeira vez em que esteve no Brasil com os irmãos, Jackson fala que ele se recorda que foram de motocicletas. “Isto permaneceu bem marcado na minha memória. Eu sou louco por motos”, diz. “Mas eu também lembro do carinho dos fãs, do frenesi ao redor da gente quando fizemos os shows. Por isto sempre queríamos voltar e este momento finalmente chegou”.

"Tito is cool"

Tito virou figura cult na década de 1990 devido ao desenho Beavis and Butthead. Na animação, os dois moleques metaleiros, quando aparecia algum vídeo dos Jackson, prestavam uma pronta homenagem a Tito, exclamando: “Tito is cool” (“Tito é legal”).

O músico acha engraçado e explica que isso acontecia por ele ser tão reservado: “Eu sempre ficava na minha, tocando guitarra, enquanto meus irmãos dançavam. Deixava isso para o Michael, o Jackie e o Marlon. É por aí.. Mas isto prova que dentro do The Jacksons sempre tem espaço para todo mundo, até para um cara tímido como eu”.

O guitarrista sempre foi um grande entusiasta pelo blues. Quando não está excursionando com The Jacksons, ele mostra seu lado de bluesman: “Hoje eu toco com a banda que era do B.B. King. Muito antes do Jackson 5, antes mesmo de entrarmos para a Motown, eu comecei com o blues. Foi o primeiro estilo musical que meu pai e meu tio me ensinaram a tocar na guitarra. Estou na estrada tocando o gênero há mais de 20 anos e vem dando muito certo, é muito satisfatório”.

Em 2006, o músico lançou o CD Tito Time, o primeiro trabalho solo dele, que destacou a canção "Get It Baby". Ele comenta: “Eu fui o último dos irmãos Jackson a se lançar solo. Demorei porque queria fazer as coisas do meu jeito. Também queria me divertir. Consegui. Procuro me manter ocupado, viajando pelo mundo todo, com meus irmãos e apresentando o meu trabalho solo”, finaliza.


* Nota do editor:

Texto publicado in memorian ao jornalista Paulo Cavalcanti. Esse foi um dos últimos textos enviados pelo jornalista, colaborador da Rolling Stone Brasil e antigo editor da revista, que morreu no dia 26 de fevereiro, aos 56 anos. Sabemos que o Paulinho gostaria de ver essa entrevista publicada. "Tito is cool", escreveu ele, ao final do papo com Tito Jackson.