James Franco vai dirigir filme sobre stripper que tem como base uma matéria da Rolling Stone

"Zola Tells All: The Real Story Behind the Greatest Stripper Saga Ever Tweeted", artigo publicado em novembro, se aprofundou na intensa viagem pela Flórida que virou sensação no Twitter

Rolling Stone EUA Publicado em 05/02/2016, às 12h59 - Atualizado às 13h02

O ator James Franco
Charles Sykes/AP

A história da stripper Aziah "Zola" Wells cativou a internet quando uma “road trip” dela pela Flórida, em outubro, deu muito errado, e ela foi descreveu os fatos no Twitter. O relato gerou uma matéria exclusiva, e bastante detalhada, assinada por David Kushner e publicada pela Rolling Stone EUA com o título "Zola Tells All: The Real Story Behind the Greatest Stripper Saga Ever Tweeted". O caso chamou tanta atenção que vai virar um filme. De acordo com o site da revista Variety, James Franco, Andrew Neel e a produtora Killer Films estão are desenvolvendo uma versão para o cinema da história.

A saga de Zola começou com o primeiro tuíte dela: "Ok, escuta aqui. Essa é uma longa história. Conheci uma vadia branquela no Hooters…" A reportagem de Kushner vai fundo na "viagem terrível pela Flórida, com a ‘vadia branquela’, Jessica; o namorado bêbado de Jessica, Jarrett; e o violento cafetão nigeriano de Jessica, 'Z'. Tem prostituição, tem assassinato, Jarrett pula do quarto andar", escreveu Kushner. "É uma mistura de Spring Breakers: Garotas Perigosasa com Pulp Fiction: Tempo de Violência, mas se tudo fosse contado por Nicki Minaj."

A história de Zola ganhou a hashtag #TheStory, que virou Trending Topic no mundo todo e ganhou alguns fãs famosos quando foi se desenvolvendo na rede social. Conforme Kushner descobriu ao examinar a história de Zola e entrevistar as pessoas envolvidas, além de parentes e amigos dela, muitos dos detalhes são verídicos, mas alguns pontos simplesmente não batem.

Apesar de haver dúvidas sobre partes do que se desenrolou, é uma trama pesada que envolve um esquema muito real de tráfico sexual, que termina com a prisão do já citado “cafetão nigeriano 'Z'". Akporode "Rudy" Uwedjojevwe foi acusado de agressão, tráfico sexual e outros crimes no estado de Nevada.

Franco vai dirigir e coproduzir o longa. Andrew Neel e Mike Roberts vão assinar o roteiro.