James Murphy: dance music comercial "me dá vontade de vomitar”

"Não é para mim, mas também não foi feita para mim", diz o ex-líder do LCD Soundsystem

Rolling Stone EUA Publicado em 01/03/2014, às 11h33 - Atualizado às 12h33

James Murphy
AP

James Murphy, antigo vocalista do LCD Soundsystem, chamou a dance music comercial de “repugnante” e disse que ela faz com que ele “tenha vontade de vomitar”, em entrevista nesta quinta-feira, 27.

Marca de café de James Murphy finalmente ficou pronta.

Segundo o site Music Week, durante uma sessão na Red Bull Music Academy, na Noruega, tirou sarro do estado da música dance atual. “Eu simplesmente não gosto. Não é para mim e também não foi feita para mim”, disse ele. “Eu sou velho. Elas são muito maximalistas e eu não sou um cara assim. Eu tenho certeza de que tem muita coisa incrível acontecendo, mas não me atinge e provavelmente não irá. Eu não tenho me animado com coisas novas.”

Mas, como na maior parte das coisas que Murphy diz, o cinismo do produtor é cercado de algum otimismo. "Neste último mês, tenho tido muita esperança de que existam duas pessoas sendo DJs e um local com 150 pessoas que acham que o que eu fiz era uma bobagem e que estejam fazendo algo incrível e se divertindo muito", ele disse. "Eu não vou ouvir até que eles façam uma música comercial de merda, e aí eu nunca vou saber das coisas boas que eles fizeram antes, mas é isso que espero.”

Murphy está revisitando a sua antiga, excelente e não indutora-de-vômito banda em abril, apenas três anos depois do último show do LCD Soundsystem, no Madison Square Garden. No começo desta semana, a banda anunciou que lançará a apresentação em vinil, com cinco discos, no Record Store Day, em 19 de abril. The Long Goodbye: LCD Soundsystem Live at Madison Square Garden chega às lojas virtuais no dia 20 de maio.

Quando a Rolling Stone EUA falou com Murphy sobre o filme, no ano passado, o produtor explicou as maiores diferenças entre trabalhar no documentário do show, Shut Up and Play the Hits (2012), e o futuro disco.

“O filme é feito para os seus olhos e o disco é para os ouvidos”, disse Murphy. “O filme foi mixado digitalmente, porque você iria assisti-lo no cinema e fazer pequenos ajustes para as quatro horas de exibição, enquanto o disco é mixado de forma analógica, em fita, na maneira como eu normalmente faço. Mas leva muito tempo, porque não estou mais em uma gravadora”.