James Taylor processa gravadora em US$ 2 milhões

O cantor e compositor entende que foi prejudicado pelo selo em vendas de MP3

Redação Publicado em 17/09/2012, às 10h41 - Atualizado às 11h42

James Taylor
AP

Cantor e compositor, James Taylor entrou com uma ação judicial contra sua antiga gravadora, a Warner Bros, reclamando da falta de pagamentos em direitos autorais em downloads. De acordo com informações do site do jornal The Guardian, o músico norte-americano pede pelo menos US$ 2 milhões (R$ 4 milhões) para compensar as perdas.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Taylor afirma que a gravadora pagou a ele um valor válido para discos em vinil e que as vendas digitais deveriam ser tratadas como uma cópia licenciada das gravações oficinais, não como um álbum físico recém-prensado. Essa mudança na tarifação daria a ele um aumento de até 400% em royalties.

O ponto central da questão, que já foi discutida por Eminem e The Temptations, é sobre a taxa que envolvem os downloads e os toques para celular em contratos firmados antes da criação das vendas digitais. Outra acusação de Taylor contra a Warner Bros é a má utilização de suas músicas em coletâneas.

O músico esteve sob contrato com a gravadora por dez anos, entre 1969 e 1979, justamente durante o lançamento dos clássicos Sweet Baby James (1970), Mud Slide Slim and the Blue Horizon (1971), álbuns que alcançaram o terceiro e segundo lugar entre os mais vendidos nos Estados Unidos.