Janaina Paschoal diz que Eduardo quer derrubar Bolsonaro e concorrer em 2022: ‘É louco, eu sei que é’

A deputada estadual revelou acreditar que Eduardo Bolsonaro tem um plano para vencer as próximas eleições

Redação Publicado em 30/06/2020, às 08h59

None
Eduardo Bolsonaro (Foto: Reprodução/Band) e Jair Bolsonaro (foto: Andressa Anholete, Getty Images)

Janaina Paschoal, deputada estadual (PSL-SP), afirmou que Eduardo Bolsonaro quer tirar Jair Bolsonaro do cargo de Presidente da República, segundo informações do Uol. Em entrevista à Marie Claire, a política contou que o objetivo do plano é garantir uma vitória na próxima eleição, em 2022.

"Cheguei a conversar sobre isso com o [ex-] ministro [Gustavo] Bebianno antes dele falecer. Passa na minha cabeça, e é louco, sei que é, que Eduardoquer derrubar o pai para poder se apresentar como alternativa em 22, com o discurso do golpe."

Para Janaina, o deputado federal ajudará a derrubar o próprio pai e, em seguida, usará o discurso de que o presidente foi vítima de um golpe e o país precisa de um novo líder, mais jovem e semelhante ao anterior. 

+++ LEIA MAIS: Novo secretário de cultura, Mário Frias chama auxílio de R$ 600 de esmola: ‘Artista quer trabalhar’

"O discurso do golpe é um baita discurso para o PT e também está sendo usado pelos bolsonaristas desde o início do governo [...] É um discurso que tende a uma candidatura em 22 que vai se mostrar como golpeada também. Um drama. Será que esse menino não está ajudando nesse processo de derrubada do pai?"

Ela completou: "'Olha aí, cercearam meu pai, que quase morreu pelo país', e aí ele aparece mais jovem, mais forte, numa versão atualizada do pai destruído pelo golpe? Eu ouso, né?".

A política também disse que Eduardo criou uma rede de contatos com deputados e cultivou certa influência sobre eles com a justificativa de que estava fazendo um trabalho a favor do presidente. 

+++ LEIA MAIS: Haddad cita Breaking Bad ao chamar ex-advogado de Flávio Bolsonaro de ‘Frederik Better Call Saul Wassef’

"O Eduardo tem muita influência sobre o [deputado estadual] Gil Diniz (PSL-SP), sobre o [deputado estadual] Douglas Garcia (PSL-SP). Sobre o Edson Salomão, que é chefe de gabinete do Douglas. Sobre a [deputada federal] Carla Zambelli (PSL-SP). Ele tem uma liderança sobre eles. Foi para o exterior, visitou líderes. Tudo isso me parece mais uma dinâmica que atende [mais] a Eduardo do que ao pai".

Além disso, a deputada afirmou que Eduardo, a líder do grupo de extrema direita Sara Winter e Carla Zambelli, “na verdade, não é um grupo bolsonarista”, mas a favor dos ideais de Olavo de Carvalho

"É um grupo olavista que está usando o presidente para tentar se alavancar ou implementar uma pauta que não é dele, mas de Olavo. E o presidente? Não sei se não enxerga ou se é muito dominado pelos filhos. De repente tem aí uma dinâmica familiar, uma culpa que, como pai, ele tem que compensar."

Janaina ainda falou que Bolsonaro deveria renunciar. "E vou dizer o quê?! É muita loucura, muita confusão. Como o povo vai aguentar isso por mais dois anos? Como o povo vai aguentar isso no meio de uma pandemia e, depois, com as sequelas dela?", disse a deputada. 


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO