Jim Carrey critica violência em Kick-Ass 2, no qual atua

O ator citou o massacre de Sandy Hook como um dos motivos para não apoiar mais o filme; o autor da HQ rebateu

Rolling Stone EUA Publicado em 24/06/2013, às 14h20 - Atualizado às 14h26

Jim Carrey
AP

Jim Carrey declarou no Twitter que não pode mais apoiar o nível de violência de Kick-Ass 2, no qual atua. O ator citou o massacre da Sandy Hook Elementary School como o motivo para ter mudado de ideia. Em dezembro do ano passado, 20 crianças e seis adultos morreram após um atirador abrir fogo na escola.

"Eu rodei Kick-Ass um mês antes de Sandy Hook e agora, em sã consciência, não posso apoiar esse nível de violência", tuitou ele. “O que quero dizer é que peço desculpa aos outros envolvidos no filme. Não tenho vergonha dele, mas eventos recentes me fizeram mudar de ideia.”

Kick-Ass 2, com base na série de HQs de Mark Millar, conta com muitas cenas de violência estilizada. Os protagonistas, Aaron Taylor-Johnson (Kick-Ass) e Chloë Grace Moretz (Hit-Girl), também são notoriamente bem jovens para encararem papeis pesados assim. Moretz tinha apenas 13 anos quando saiu o primeiro filme. Carrey, que tem sido uma voz ativa no apoio a questões de controle de armas de fogo, interpreta o novo herói Coronel Estrelas. Millar, que também assina a produção executiva dos filmes, ficou “chocado” com a decisão de Carrey.

"Conforme vocês podem já saber, Jim advoga apaixonadamente o controle de armas e eu respeito tanto sua política quanto sua opinião, mas estou chocado com seu anúncio repentino já que tudo que está no filme estava no roteiro há 18 meses”, ele disse em um fórum de fãs.

Ele continuou: “Uma sequência ao filme que nos deu Hit-Girl inevitavelmente derramaria algum sangue e isso não deveria chocar um cara que gostou tanto do primeiro filme... assim como Jim, fico horrorizado com violência da vida real (apesar de eu ser escocês), mas Kick-Ass 2 não é um documentário”. Ao fim do texto, ele pediu a Carrey para reconsiderar. "No fim das contas, a decisão é dele. Mas eu nunca comprei muito a ideia de que a violência na ficção leva à violência na vida real, assim como se Harry Potter fizer um feitiço, isso não vai criar mais garotos feiticeiros na vida real”, escreveu Millar.

Kick-Ass 2 chega ao Brasil em 13 de setembro.