Joaquin Phoenix quase foi o Batman em versão dos anos 2000, revela diretor de Cisne Negro

Freddie Prinze Jr. também foi cotado para o papel

Redação Publicado em 20/04/2020, às 08h54

None
Joaquin Phoenix discursa após receber Oscar por Coringa em 2020 (Foto: Chris Pizzello/Invision/AP)

No começo dos anos 2000, depois do sucesso do diretor Darren Aronofsky em Réquiem para um Sonho (2000), a Warner quis o cineasta no comando de um filme do Batman que nunca saiu do papel. Em entrevista à Empire, Aronofsky copartilhou alguns detalhes desse projeto, como Joaquin Phoenix ter sido cotado para o papel de Bruce Wayne.

No entanto, o estúdio e o diretor entraram em um empasse por conta do ator principal, porque Darren Aronofsky queria Phoenix, já o estúdio quis Freddie Prinze Jr. (Scooby-Doo).  "Lembro-me de pensar: 'Ah, estamos fazendo dois filmes diferentes aqui'. Essa é uma história verdadeira. Isso foi em uma época diferente. O Batman que escrevi foi definitivamente uma linha diferente do que eles acabaram fazendo", disse.

+++LEIA MAIS: 6 filmes para assistir em um encontro virtual durante o coronavírus [LISTA]

De acordo com a Empire, o quadrinista Frank Miller iria roteirizar o projeto. O Batman de Darren Aronofsky iria se inspirar em Desejo de Matar (1974), Operação França (1971) e Taxi Driver (1976).

Para o longa, Aronofsky queria distanciar o filme dele o máximo possível de Batman e Robin, dito por ele como "o famoso com os mamilos no Batsuit" e "reinventar" o nome do herói nos cinemas.

+++LEIA MAIS: Teoria bizarra diz que Rick e Morty são o mesmo personagem; entenda

Após a saída de Aronofsky, a Warner contratou Christopher Nolan, que dirigiu a trilogia com os filmes Batman Begins, O Cavaleiro das Trevas e O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Os três longas somaram mais de US$ 2,4 bilhões na bilheteria mundial.

Enquanto o diretor não tenha trabalhado em nenhum filme da DC, Joaquin Phoenix viveu o palhaço do crime em Coringa, de 2019.


+++ SESSION RS: SCALENE TOCA ASSOMBRA