Joaquin Phoenix sentiu medo antes de aceitar o papel de Coringa

O ator contou dois motivos que dificultaram a escolha de interpretar o lendário vilão de Gotham City

Redação Publicado em 22/08/2019, às 13h18

None
Coringa. (Foto: Reprodução)

Joaquin Phoenix foi o grande escolhido para dar vida ao Coringa, em um dos filmes mais aguardados de 2019. Mas a decisão de interpretar o personagem não foi feita de imediato. O ator explicou para a Total Film dois motivos que o fizeram hesitar antes de aceitar o papel do lendário vilão de Gotham City.

"Havia muito medo, sim. Mas eu sempre digo que há o medo motivador e o medo intimidador. Tem o medo que você você não pode dar um passo e tem o do tipo 'Ok, o que vamos fazer? Isso não é bom o bastante'. E você cava cada vez mais fundo. Eu amo esse tipo de medo. Ele nos guia e nos faz trabalhar mais duro", disse Phoenix.

A responsabilidade de interpretar um personagem caótico e multifacetado como o Coringa vem ao lado de um público exigente com altas expectativas e a inevitável comparação com as versões idolatradas de Jack Nicholson e Heath Ledger. Phoenix conta que o desafio da atuação foi, ao mesmo tempo, um dos empecilhos e uma das razões para aceitar o papel.

"Eu penso, de vez em quando, que temos esses arquétipos e isso faz com que a audiência se distancie do personagem, assim como nós faríamos na vida real, em que é fácil rotular alguém como mal."

O ator completa: "Tem momentos em que você vai se sentir conectado com ele e torcendo por ele, e outros momentos em que você vai sentir aversão por ele. E eu gosto dessa ideia de desafiar o público e me desafiar a explorar um personagem assim. É raro explorar personagens como ele em qualquer filme e ainda mais no gênero de super-heróis”.

O filme protagonizado por Phoenix e dirigido por Todd Phillips também conta com Robert De Niro, Bill Camp, Frances Conroy, Brett Cullen, Glenn Fleshler, Douglas Hodge, Marc Maron, Josh Pais e Shea Whigham no elenco.

Coringa estreia no Brasil dia 3 de outubro.

+++ De Djonga a Metallica: Scalene escolhe os melhores de todos os tempos