John Lennon e Yoko Ono realmente foram vigiados pelo FBI; entenda

Casal contou sobre as investigações em programa norte-americano

Redação Publicado em 11/05/2020, às 13h24

None
John Lennon e Yoko Ono em 1972 (Foto: Reprodução/YouTube)

Em maio de 1972, John Lennon e Yoko Ono foram entrevistados pelo norte-americano Dick Cavett, na segunda vez do casal no programa, e contaram sobre investigações do FBI das quais eram alvo, como lembra a Far Out Magazine.

Yoko falou sobre a insegurança com as ameaças de deportação devido os protestos e atos de rebeldia de ambos. Richard Nixon, presidente dos Estados Unidos, na época, estava insatisfeito com as críticas ao governo e Guerra do Vietnã. Lennon alega que o FBI, serviço de inteligência estadunidense, investigava as ações do casal, mas a plateia parecia não acreditar.

+++ LEIA MAIS: Entenda a relação terrível entre John Lennon e filho Jules: ‘Fruto de uma garrafa de uísque’

“Estamos muito assustados agora, porque algumas pessoas acreditam que deveríamos deixar esse país. Isso nos deixa em uma posição, especialmente para mim, porque preciso escolher entre meu marido e minha criança”, contou Yoko. O ex-marido da artista não a permitia ver a filha, com oito anos de idade em 1972.

Após uma luta judicial de 14 anos, Jon Wiener conseguiu acesso aos arquivos e confirmou publicamente o interesse do FBI nas atividades do casal, gerado pelo ativismo anti-guerra. A organização tinha um dossiê com 300 provas - todas sem sustentação - contra Lennon. Os arquivos foram transformados no Gimme Some Truth, lançado em 1999 pelo historiador. A aparição no programa foi favorável ao casal, como lembra a publicação, e os ajudou a conquistar a cidadania norte-americana.


+++ O TERNO | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL