Julian Assange recusou encontro com Benedict Cumberbatch

“Se te encontrasse eu validaria este filme miserável”, disse o fundador do Wikileaks sobre O Quinto Poder

Redação Publicado em 10/10/2013, às 12h49 - Atualizado às 12h53

Julian Assange
Anthony Devlin/AP

Uma troca de e-mails entre Julian Assange e Benedict Cumberbatch, responsável por interpretá-lo em O Quinto Poder, vazou pelo Wikileaks, e mostra que o ator tentou encontrar seu personagem, mas não conseguiu.

20 anos da internet: veja dez filmes sobre a web.

O fundador do Wikileaks chamou de “má ideia” a solicitação de Cumberbatch de visitá-lo na embaixada equatoriana em Londres, onde está o hacker perseguido por autoridades de diversos países. “Se te encontrasse eu validaria este filme miserável”, disse Assange, que desde o começo da produção de O Quinto Poder criticou o projeto. “Eu não posso permitir que esse filme tenha qualquer pretensão de autenticidade ou veracidade. Em sua forma atual não tem nem, e isso apenas fortaleceria a campanha contra mim.”

Transitando pela TV e em blockbusters, ator britânico Benedict Cumberbatch coleciona elogios.

Assange fez ainda questão de ressaltar que não se tratava apenas de uma questão pessoal entre ele e o ator de Star Trek. “Eu acredito que você seja uma boa pessoa, mas não acredito que este seja um bom filme”, disse. “É baseado em um livro traiçoeiro de alguém que queria vingança contra mim e minha organização.”

O Quinto Poder, dirigido por Bill Condon, foi baseado no livro Os Bastidores do WikiLeaks - A História do Site Mais Controverso dos Últimos Tempos Escrita Pelo Seu Ex-Porta Voz, de Daniel Domscheit-Berg. O filme estreou no Festival de Toronto recentemente e estreia em salas brasileiras ainda neste mês.

TIFF 2013: “Ele foi um pioneiro”, diz Bill Condon sobre Julian Assange.

Assange ainda alertou o Cumberbatch: “Você será usado, como uma arma de aluguel, para assumir uma aparência de verdade para destruí-la. Para me apresentar como alguém moralmente comprometido e me colocar em uma história falsificada”. “Não porque você quer, claro que você não quer, mas porque, no final, você é um ator que é pago para seguir um roteiro, não importa quão deformado.”