Julian Casablancas sobre o novo disco: “É uma espécie de álbum de protesto”; assista

Vocalista do Strokes, aos poucos, revela detalhes sobre o novo projeto que tem longe da famosa banda nova-iorquina e apresenta integrantes

Redação Publicado em 25/03/2014, às 20h10 - Atualizado às 20h52

Galeria – Melhores momentos SXSW – Julian Casablancas
Jack Plunkett/AP

Depois de um publicar um vídeo, sem muito alarde, revelando o lançamento segundo disco solo (ou o primeiro com uma nova banda?), Julian Casablancas vai dando detalhes de forma homeopática sobre o projeto Julian Casablancas + The Voidz, cujo álbum deve chegar em abril.

Arquivo RS: em 2003, o Strokes enfrentava o tabu do segundo disco e lutava para ganhar respeito da crítica. Enquanto isso, o vocalista Julian Casablancas fazia todo o esforço do mundo para não ser compreendido

No novo vídeo, chamado “Can I VHS You?” (algo como “posso filmar você?”, em tradução livre para o português). O VHS do título é notado pelas imagens com pouca qualidade, como se tivesse sido filmado com câmeras antigas e aquelas fitas enormes, um grande sucesso nos anos 1980/1990.

Temos, agora, a escalação do The Voidz. O grupo é formado por Alex Carapetis (baterista, que já tocou com Nine Inch Nails e no primeiro álbum de Casablancas), Jeff Kite (teclado, também da turnê solo), Jake Bercovici (baixo, produtor do Warpaint), Amir Yaghmai (guitarra, que gravou com Daedelus e Baths) e Jeremy Gritter, também chamado de “Beardo” (guitarra).

Entrevistado, Julian diz que o time se reuniu “sei lá, acho que é do jeito que as bandas se formam, sabe?” Ele diz que o novo trabalho traz técnica e insanidade. “Como ele soa? Você responde melhor que eu”, diz ele para Beardo.

O guitarrista elogiou a sonoridade do novo grupo. “Eu sempre gostei da energia do punk rock. Gosto deste sentimento de colocar tudo de si. Mas eu também sinto falta do lado técnico das coisas. Por isso essa é a banda em que eu preciso estar. Por unir isso tudo”, diz ele. “Soa como música do nosso tempo.”

Grandes momentos do SXSW 2014: Julian Casablancas mostra músicas inéditas.

Sonoramente, Casablancas parece unir aquele espírito protopunk do Strokes no início de carreira, com um pouco dos sintetizadores de Phrazes for the Young, primeiro disco solo dele, de 2009.

Para Casablancas, este “disco é uma espécie de ‘álbum de protesto’”, diz, sem justificar especificamente o motivo disso. “Tentei mantê-lo sutil. Tentei mantê-lo universal e sutil, mas, sabe, é [um disco] bastante triste”.

O novo vídeo comprova que o retorno de Julian Casablancas aos palcos, em carreira solo, não era injustificado. No fim de 2013, o músico já havia indicado que estaria preparando novidades. Em novembro, ele publicou uma imagem com uma palavra quase indecifrável no site oficial . De acordo com o site Consequence of Sound, tratava-se de Voidz.

Dez anos de Room on Fire, do Strokes: “Conseguíamos sentir os olhos do mundo em nós”, diz produtor.

O músico se prepara para entrar em mini-turnê de seis shows pela América Latina, passando por Chile (duas noites), Buenos Aires, Bogotá, Lima e São Paulo, no festival Lollapalooza 2014, entre março e abril. É possível que Casablancas use essa passagem para testar algum material inédito.

Em 2010, Julian Casablancas falou com a Rolling Stone sobre o retorno da banda, seu álbum solo e a paternidade. Leia a entrevista.

Além de Casablancas, estão line-up do Lollapalooza Brasil bandas como Muse, Arcade Fire, Soundgarden, Nine Inch Nails, Imagine Dragons e Pixies (Lollapalooza 2014 define os horários dos shows; veja a escalação completa).

Assista à entrevista:

Veja a prévia: